"Todos os devaneios que me vão na cabeça, que me foram da cabeça e que me hão-de vir até à cabeça. Todas as mentiras e verdades que me foram impostas, todas as torturas que eu vi. Todos os momentos; um principio de vida, o meu desnascer."
Quinta-feira, 5 de Junho de 2008
MEU NOVO BRINQUEDO DO BRASIL

http://eufausto.blogspot.com/

 

VISITE E CONTINUE A RIR



publicado por faustofigueiredo às 16:20
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 3 de Junho de 2008
XAU

 

Minhas senhoras, meus senhores, meus amigos, habitantes do planeta terra, Faustianos em geral: - Venho por este meio, formal e solenemente, dar baixa da minha prestação como fantástico autor deste blogue. Oficialmente, a partir de hoje, converto-me numa ausência. Obrigado por lerem esta porcaria

sinto-me: TRISTONHO

publicado por faustofigueiredo às 16:49
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

O NOVO BRINQUEDO DO FAUSTO

 

A partir de agora vou-me dedicar aos seguintes blogues:
 
 http://opaisagistavalpacense.blogspot.com/
 
http://www.lagartanoroseiral.blogspot.com/
 
http://www.mildionolaranjal.blogspot.com/
 
http://ferrugemnomartelo.blogspot.com/
 
http://www.oblogprincipal.blogspot.com/
 

 

http://mofonassetinhas.blogspot.com/

 



publicado por faustofigueiredo às 16:47
link do post | comentar | favorito
|

FAUSTO DEIXOU DE SER MILITANTE DO PSD

O Fausto, rasgou o cartão de militante do PSD e fugiu para o Brasil

Acredito perfeitamente que, este blogue, talvez fique na memória de alguns, pois dei um pouco da minha vida a este projecto, que lentamente tem vindo a crescer em termos de participação das pessoas.
10.000 computadores diferentes visitaram este blogue. 10.000 é muita computador.
Neste ano e meio de existência, fiz rir; chorar; criei conflitos; fui ameaçado; e na melhor situação de todas, criaram um clube de fãs do Fausto (é verdade).
O projecto “Devaneios do Fausto”, nasceu com o objectivo de contribuir, de forma independente e rigorosa, para a valorização e conhecimento do consumidor de vinhos (do bêbado portanto) e para a responsabilização da quebra de monotonia dos gajos que se enfiam a ler estas porcarias.
Como em todos os projectos, também neste existe princípio, meio e fim. Por isso, e de forma natural, este projecto que muito me orgulha, chegou ao seu termo. Acabaram-se as palhaçadas.
Deixo um reconhecimento eterno a todos aqueles que alimentaram com paixão e conhecimento o blogue
Obrigado Sérgio, Filipe, Ane, Josy, São Banza, Lekas, Cocas e a todos aqueles que infernizei com as minhas bocas verrinosas e libidinosas.
Por fim, um bem haja a todos aqueles que anonima, espontânea e desinteressadamente colaboraram neste blogue.
Agora vou fugir para o Brasil.
Em breve voltarei. O mesmo nome, outro local, os mesmos devaneios.
 
Gilberto Vicente


publicado por faustofigueiredo às 16:45
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Segunda-feira, 2 de Junho de 2008
Composição do João

 

Meus amigos e leitores em geral, o que vocês vão ler, foi verídico!

É de um aluno de uma cunhada minha chamada Ana (escrevi o nome de trás para a frente para vocês não se aperceberem do nome dela).

Foi assim:

 Escola primaria do mercado... 

 *composição do João *       

**As rãs:

Eu gosto muito de rãs. *As rãs arrotam a noite toda. *As rãs são mais pequenas que as vacas e mais grandes que um pintelho. *As rãs não têm pintelhos. *As rãs põem ovos pela paxaxa que depois dão rãzinhas pequenas. Se as rãs tivessem pintelhos na paxaxa arranhavam os ovinhos que são muito pequenininhos e as rãzinhas que estão lá dentro iam morrer porque entrava água pelas arranhadelas e elas morriam afogadas e porque quando são pequenas não têm patas e não sabem nadar. Eu também ainda não tenho pintelhos mas já sei nadar. Também ainda não tenho paxaxa mas um dia vou ter muitas. *As rãs são as mulheres dos sapos. Os sapos não têm unhas por isso não podem coçar os tomates. É por  isso que eles andam com as pernas abertas a arrastar os tomates que é para  os coçar. E quando se picam nos tomates os sapos dão saltos. *As rãs também dão muitos saltos, por isso têm a paxaxa sempre aos saltos.

Eu gosto muito de rãs. E gosto muito de sapos

Depois de ler esta atrocidade, fiquei a pensar se não era melhor a minha cunhada dedicar-se a outro tipo de ensinamentos. Aliás, penso que qualquer coisa que não seja língua portuguesa, seria melhor para este visionário da anatomia.

Força João, estás no bom caminho para ser mais um predador sexual.

Provavelmente ainda te vamos ver a comentar politica num canal televisivo, com uma audiência fantástica.

 

P.S. – João, não te esqueças de ir ao veterinário, uma vez por ano, ver se está tudo bem



publicado por faustofigueiredo às 15:06
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 30 de Maio de 2008
NÃO SOU CANDIDATO A LIDER DO PPD/PSD
Estou aqui para dizer a todos os portugueses que:
- Que o PSD está “balcanizado”.
 - Que o PSD está fragmentado em várias facções.
 - Que não fiz nenhum esforço no sentido de apresentar um programa de acção para ganhar as eleições.
 - Que estou convencido que aqueles quatro malucos estão mais apostados nos seus ajustes de contas pessoais.
 - Que do lado de um sector que é colaboracionista do sistema político vigente, um grupo de “finórios burgueses de salão”, que tenta passar por elites, mas que não passam de uns indigentes político-culturais.
 - Que não sou «suicida» e sempre fui coerente.
 - Que o PSD está numa situação trágica de continuar a andar à mercê daquilo que diz a comunicação social de esquerda.
 - Que independentemente dos apoios que recolhi, «mesmo tendo tropas, um general deve fazer um reconhecimento do terreno e só depois é que vai colocar o dispositivo. Eu tenho de saber qual é o dispositivo e como o ponho no terreno. Claro que, se amanhã, todos estes grupos, grupelhos e grupões fossem pessoas que se detectasse que não querem nada disto. E que o grosso da coluna quer é um candidato acima disto, aí eu continuo não disponível.
 - Que é triste ver o partido assim, esfrangalhado».
 - Que continuo a achar que «eles vão suicidar-se todos, eu conheço aquelas criaturas. Vão entrar à pancada uns com os outros. Eu estou aqui, a observar o terreno. Estou com uns binóculos, a ver como é que se pode colocar o dispositivo».
- Que os candidatos a lideres do PSD não se tratam de “generais”, tal como disse, pois, «general sou eu. São uns capitães, uns tenentes, uns alferes. Agora, é preciso ver o que é que a infantaria e os comandos querem».
 - Que tenho a certeza que eles querem brincar às facções. Eu pergunto, quem sou eu para os impedir de se divertirem»?
 
Portanto e concluindo:

 - EU, FAUSTO FIGUEIREDO, NÃO SOU CANDIDATO A LIDER DO PPD



publicado por faustofigueiredo às 16:22
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 23 de Maio de 2008
O festival da canção e aquele grupo de gente esquisita

A noticia é...

“Fez-se história em Belgrado... a nossa sorte é sempre a mesma, sofrimento até ao fim... mas no último envelope lá estava... o nome de Portugal. Muito que se gritou no pavilhão e o envelope revelava mesmo o que todos esperávamos: Portugal está na final.”
Importantíssimo. A musica portuguesa este ano é a pior de sempre - daí termos conseguido passar à final. Nem aquele mocinho negro que cantava uma musica esquisita conseguiu passar à final. Meia dúzia de seres, uns gordos e outros feios, tiveram esses privilégio, a passagem À final do euro festival da canção.
Ponho-me a pensar como é que uma gorda feia e uns gajos vestidos com o lençol de noite, podem ter efeitos surpreendentes.
Eles são roupas tipicamente portuguesas, descalços para dar uma imagem do país que temos. Só há dinheiro para gasolinas e afins.
Plagiando meu irmão “...depois do adeus, o caminho faz-se caminhando, a guerra do ultramar na versão diamante do Mário Soares, diz-me como foi... etc
Descalços! coitadinhos.....
Eu acho que os os D'ZRT são completamente diferentes dos TOKIO HOTEL, até porque os d'zrt sao uma bosta autentica na musica portuguesa... agora os gordos não...
« Senhora do mar... negras águas...» bonito e mórbido ao mesmo tempo.
Se fizermos uma leitura completa, ao poema desta bela canção podemos chegar às seguintes conclusões:
 
Senhora do mar
Ante vós, me tendes caída
Quem vem tirar meia da vida e da paz
Desta mesa, desta casa, perdidas?
Amor, qu'é de ti?
 - Reparem só, que ela caí ante deles e só vive até aos 40 anos+/-, que é meia vida. Presume-se que a casa é grande porque eles perdem-se entre a mesa e o WC, que eles muito bem omitiram na canção.
 
Senhora do mar
Ante vós, minha alma está vazia
Quem vem chamar a si o que é meu?
Ó mar alto, traz pr'a mim
Amor meu sem fim
- Tipicamente citadino este poema. A alma está vazia porque não há tempo de ir à missa e o mar traz de volta o cagalhão que era dele e que foi parar ao mar alto, através do esgoto
 
Ai, negras águas, ondas de mágoas
Gelaram-m'o fogo no olhar (Senhora do mar)
Ele não torna a navegar (Ele não torna a navegar)
E ninguém vos vê chorar
Senhora do mar
- obviamente ninguém a vê chorar porque ninguém navega naquela água negra de tanta sujidade
 
Quem vem tirar meia da vida e da paz
Desta mesa, desta casa, perdidas?
Amor, qu'é de ti?
- Outra vez a história da meia vida e da mesa... Observem bem a beleza destes pormenores.
 
Ai, negras águas, ondas de mágoas
Gelaram-m'o fogo no olhar (Senhora do mar)
Feridas em sal, rezas em vão (Rezas em vão)
Deixai seu coração (Deixai seu coração)
Bater junto a mim (Bater junto a mim)
- Finalmente uma localização. É nas salinas de Aveiro que a água está negra. Violenta a forma encontrada pelo autor, para dizer que eles estavam com a cabeça encostada às mamas da senhora do mar. Até dava para ouvir o coração.
 
Ai, negras águas, ondas de mágoas
Gelaram-m'o fogo no olhar (Senhora do mar)
Ele não torna a navegar (Ele não torna a navegar)
E ninguém vos vê chorar (E ninguém vos vê chorar)
Senhora do mar (Senhora do mar)
- Serve a água suja para acabar este belo poema. Em todas as frases há uma repetição excepto na primeira estrofe que só a fizeram para rimar.
 
Para o ano, teremos o Santana Lopes a cantar com o Mário Soares no festival da canção. Um belo dueto, sem duvida alguma. A canção chamar-se-á “"Povo Português (como vendemos este país)”"
A final, em Portugal, vai contar também com a participação de Manuela Ferreira Leite, com a canção "foste e não voltastes e eu agora fiquei eu" (desconfio que Durão Barroso vai fazer parte do júri).
José Sócrates terá um vídeo de apresentação fantástico, na sua interpretação de "no fuel, no smoke" (versão em Inglês), uma arriscada fumadela junto a umas bombas da Galp, onde corajosamente Sócrates fuma o ultimo cigarro num balde de areia e diz que vai deixar de fumar.... é lindo. O vídeo termina com a imagem dele a fazer a meia-maratona da ponte Vasco da Gama. A produção musical está a cabo dos buraca-som-system, com letra de Jorge Palma.


publicado por faustofigueiredo às 16:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

O futuro foi feito no antigamente

Está mais que provado que não inventamos nada, apenas usamos o que outrora foi inventado,  dando-lhes nomes pomposos para sobressair, vá lá entender-se porquê! Senão vejamos;

 “No tempo de Salazar - ele - "subsidiava" os produtos importados para controlar a inflação, de forma a que os bens de primeira necessidade estivessem sempre a um preço acessível ao poder de compra dos portugueses - assim se percebe o génio económico que controlava a inflação não dependendo de "especulação" internacional.

Digamos que o homem se antecipou algumas décadas ao banco central europeu, com uma diferença: ele conseguiu controlar a inflação. Ah pois é...

Como vêem, uma sopeira será sempre uma sopeira e nunca uma auxiliar de limpeza, assim como um entrevistador nunca será um especialista de organização e métodos.

 


sinto-me: portuga
música: herois do mar

publicado por faustofigueiredo às 13:07
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 15 de Maio de 2008
Algo sobre as passitas de Sócrates

O nosso Pinto de Sousa, assim carinhosamente chamado pelo bonacheirão da Madeira, estava num avião para ir ter com o amigo Chavez e fumou. A mim não me interessa minimamente se fumou 1 cigarrito, um maço ou se pediu ao vizinho para mandar umas passas. Sócrates fumou e pronto.

Não vamos discutir aqui, se Sócrates conhecia a lei, já que foi o seu Governo, e ele próprio, numa reunião de ministros, que a aprovou. Ainda que não a conhecesse, isso não era desculpa, visto que o desconhecimento da lei não é desculpa para o seu não cumprimento (pelo menos é o que eles dizem).
O que mexe comigo no meio de tudo isto é ter sido o próprio Pinto de Sousa a violar a lei. Qual será a moralidade que o primeiro-ministro, tem de hoje em diante, para incentivar o portuga a cumprir a lei do Tabaco?
É esta falta de carácter (misturada com uma dualidade de critérios) que faz com que eu não possa nem sequer olhar para o Pintinho de Sousa. Em certos momentos, o gajo é o expoente máximo da defesa do cumprimento das leis. Quando lhe convém, fura as leis e vem para os jornais dizer baboseiras, tipo vou deixar de fumar e não sabia que não se podia fumar.
Qualquer dia temos os bêbados a dizer no tribunal que não sabiam que era proibido conduzir com excesso de álcool, prometendo deixar de beber. Ridículo.
É evidente que é um absurdo o facto de eu não ter a liberdade de, se me apetecer, viajar de avião, debaixo de uma atmosfera irrespirável de fumo, só porque um maluco qualquer, se lembrou que  se ele não gosta, então mais ninguém pode fazê-lo!
Resumindo esta porcaria: Que o Engenheiro (acho eu) Sócrates, tenha a coragem de dar a todos os portugueses a liberdade que a ele próprio se deu e se mudem as leis: Se houver fumadores que pretendam viajar em aviões ou fumarem em restaurantes o façam em nome da ignorância.


publicado por faustofigueiredo às 15:32
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Fumex

 

DIVORCIO PELA INTERNET
ISTO É...
SIMPLEX
 
FUMAR NOS VOOS PARA A VENEZUELA
ISTO É...
ESTUPIDEX

sinto-me: vou deixar de fumar

publicado por faustofigueiredo às 15:30
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 9 de Maio de 2008
Gilberto Vicente - um esgrimista da vida

“Sou um projecto de 1001 dimensões. Crio ideias e desenvolvo algumas. Entre uma concretização e uma dissolução, páro para meditar. Quando regresso ao activo, volto muito mais experiente e sinto que cresci.”

 

Eu Fausto defino assim o meu criador



publicado por faustofigueiredo às 16:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Quarta-feira, 7 de Maio de 2008
CESARIANA = GAY - Teorias

Estive a pensar e cheguei à conclusão que se cada ve há mais gays isso é culpa da cesariana. È verdade, a cesariana começou a fazer-se por tudo e por nada na mesma altura que se começou a ser gay por tudo e por nada também.

Reparem, antigamente ao nascer de parto normal os bébés passavam com a cabeça e todos os seus elementos (nariz, boca, orelhas, etc) na zona genital da mulher e aquele cheiro e sabor caracteristico ficava no subconsciente. Aquela maluqueira que sentimos cada vez que se cheira, sente e  se vê, é indescritivel.

Desde que começaram a nascer de cesariana o maximo que fica no subconsciente é a cara, provavelmente horrivel, do gajo ou da gaja que o tirou do buraco. Imaginem o que é nascer sem esforço. Sem aquele cheiro maraviçhoso, há que experimentar coisas novas que não se conhecem e então descamba para os do mesmo sexo, pois esse conhecemos bem e não vamos explorar o outro porque nascemos de cesariana não é?

As conversas de café e de bares vai ser esta – Nasceste como? Cesariana? Ès gay então.”

Fica muito mais fácil, mesmo para os casamentos não darem para o torto. Se nasceu de cesariana não vale a pena casar pois mais cedo ou mais tarde vamos descobrir que é gay.

Alías faz-me uma certa confusão a palavra gay, senão vejamos: Gay é Inglês e significa "alegre". O que é que ser alegre tem a ver com ser-se mariconço? Ainda por cima deve doer. Doi e ri? Alegria? Valha-me Deus. A unica coisa que me vem à cabeça é da cesariana mesmo.

Problema hormonal? Não certamente, mas há alguma coisa que diga que não é por causa da cesariana? Não? Lá está...

Com tanta cesaraina por aí, um dia destes, das duas, uma... Ou se é mesmo rabeta, ou então ser-se normal vai passar a ser excentricidade!

Sinto-me bastante importante por ter descoberto isto. A minha esposa nunca terá filhos de cesariana. Não que eu tenha alguma coisa contra os gays, mas pelo sim pelo não, porquê facilitar não é?



publicado por faustofigueiredo às 12:58
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Resposta estupidas para perguntas inteligentes

O meu primo piranha (sempre agradável de se chamar a alguém esse nome não é?), mandou-me um email com perguntas estupidas. Como não gosto de deixar nada sem resposta senti-me na obrigação de as dar e publicar. Ora bem, então é assim:

 

Pergunta n,º 1

Quando te vêem deitado, de olhos fechados, na tua cama, com a luz apagada e te perguntam:

 - Estás a dormir?

Resposta:

- Vai para o raio que ta parta ò palhaça, não vês que sim que estou a dormir! Trabalha um gajo todo o dia, levanta-se de madrugada e vem esta gaja fazer perguntas estupidas. Já não te doi a cabeça agora é?

Pergunta n,º 2

Quando levamos um electrodoméstico para a reparação e o técnico pergunta:

- Está avariado?

Resposta:

- Tu é que estás avariado meu anormal. Trouxe a maquina de lavar roupa porque faço lavagens ao domicilio, ò estupido.

Pergunta n,º 3

Quando está a chover e percebem que vais sair à chuva, perguntam:

- Vais sair com esta chuva???

Resposta:

- Não, vou apanhar o próximo sol. Ontem sai com a chuva mas ela nem o telefone me quis dar.

Pergunta n,º 4

Quando acabaste de te levantar e vem um idiota (sempre) e pergunta:

- Já acordaste?

Resposta:

- Já, estava com pressa de ver um anormal a fazer perguntas estupidas e vim o mais rápido que pude!

Pergunta n,º 5

O teu amigo liga para tua casa e pergunta:

- Onde estás?

Resposta:

- Na tua casa, em cima da tua mulher.

Pergunta n,º 6

Acabas de tomar banho e alguém pergunta:

- Tomaste banho?

Resposta:

- Não!... lavei só as partes baixas para não botar cheiro a bedum.

 

Logicamente, há momentos que não podemos responder assim. Os estupidos que fazem essas perguntas podem não compreender

 



publicado por faustofigueiredo às 12:48
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 29 de Abril de 2008
Informático-dependente

Assumir é ser verdadeiro, é escolher uma estrada cheia de oposições e contradições. Assumir é acreditar que estamos a escolher um caminho, uma fonte, um objectivo de vida. Eu assumo:

“Estou informático-dependente.”

Para trabalhar; falar com gajas; para ouvir musica; falar com algumas gajas; para ver filmes; para falar com outras gajas; falar com amigos; falar com gajas e gajas e gajas; para jogar; interagir com gajas; para me manter informado; falar com gajas novamente; etc, etc…

Mas sinceramente, quem é o animal que hoje em dia não está?

Acordar, ver e-mail; tomar o pequeno-almoço, ler as notícias e ler recados das gajas.

no if5; trabalhar todo o dia em frente ao monitor; jantar e visitar uns Blogs e uns sites de gajas; trabalhar mais um pouco ou ver um filme ou uma série e depois, finalmente, falar com gajas.

Os dias correm bem, sempre como o planeado, ou melhor quase sempre.

Há os dias como o de hoje, em que a maquineta decide atrofiar e quase temos um ataque cardíaco.

O meu monitor decidiu ficar rosinha, parecido com o equipamento dos outros. Rosinha e esverdeado. Começaram a aparecer essas cores no ecrã e o “manchinha” (como eu lhe chamo) crashou…

Reinicio e aparecem uma carrada de mensagens a dizer que não detecta o teclado e não detecta o rato, não detecta o disco. Enfim, não detecta nada…

Dou-lhe umas palmadinhas primeiro e reinicio. Depois de detectar que está tudo na mesma, mando um murro ao de leve na tower. Com este tratamento arranjei-o de certeza, pensava eu. Reinicio e a única coisa que aparece é o cursor a piscar no canto superior direito.

Os meus olhos começam a ficar esbugalhados, o pânico começa a invadir-me, a tomar conta de mim. Perco-me no tempo, não sei que horas são... o ritmo cardíaco aumenta…

Reinicio novamente e desta vez não aparece nada… simplesmente nada!

Começo a suar mais intensamente…

Volto a reiniciar e fica mais do mesmo! Nada no ecrã, mesmo nada. Nadica de nadica.

Preparo-me para dar um pontapé na tower do manchinha. Olho para ele, puxo a perna esquerda atrás e... sento-me. Ainda era cedo para assassinar o meu mais fiel amigo dos ultimos tempos.

Tiro as memórias e a placa grafica. Vou tomar um café ao espaço da Catarina, pelo menos dá para olhar para os olhos dela e tentar esquecer o drama do meu dia.

Já vos falei da Catarina? Não?!?!? Bem, olhos mais lindos de Vilarandelo, nariz maior que o meu, metade do meu peso, altura por aí, e calças CD. Mal encarada de vez em quando. Esta é a Catarina folha sêca.

Adiante, quando volto, monto tudo, ligo e... ligou.

Ligou, detectou, etc.

Acho que os computadores são como as gajas, só fazem o que querem e quando querem. Ficou gravado o susto.



publicado por faustofigueiredo às 15:25
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quinta-feira, 24 de Abril de 2008
Uma gaivota de Abril, uma gaivota na vida

Um cantor apregoava que eles não sabem nem sonham e que o sonho comanda a vida. Tantas vezes cantamos e ouvimos essa acusação, na voz grossa e rouca do cantor.

Como um poema, cantado por um grupo de mulheres em passeio, a atestar num cântico amoroso de que uma gaivota voava. Voava... Por causa de um ideal de liberdade.

Tantos silêncios, tanta solidão!

As gaivotas que lhes traziam o cheiro a mar nas asas. Uma gaivota voava, voava, cantavam elas... E agora? Agora voam os carreiras e outras coisas esquisitas do género.

Ninguém que ame a liberdade jamais poderá esquecer que uma gaivota voava... Mas as gaivotas voam, vejam, as gaivotas ainda voam! Que os poetas e os músicos jamais silenciem o doce nome da liberdade - as gaivotas nunca deixarão de voar nem mesmo os que já perderam a voz, deixarão de sonhar!

 

Somos livres (uma gaivota voava voava)

Letra e música: Ermelinda Duarte

 

Ontem apenas

fomos a voz sufocada

dum povo a dizer não quero;

fomos os bobos-do-rei

mastigando desespero.

 

Ontem apenas

fomos o povo a chorar

na sarjeta dos que, à força,

ultrajaram e venderam

esta terra, hoje nossa.

 

Uma gaivota voava, voava,

assas de vento,

coração de mar.

Como ela, somos livres,

somos livres de voar.

 

Uma papoila crescia, crescia,

grito vermelho

num campo cualquer.

Como ela somos livres,

somos livres de crescer.

 

Uma criança dizia, dizia

"quando for grande

não vou combater".

Como ela, somos livres,

somos livres de dizer.

 

Somos um povo que cerra fileiras,

parte à conquista

do pão e da paz.

Somos livres, somos livres,

não voltaremos atrás.

 

O meu contributo ao Abril de 74


sinto-me: tuga
música: Somos livres (uma gaivota voava voava)

publicado por faustofigueiredo às 16:37
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

o que voçês queriam saber sobre mim
procure aqui
 
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

MEU NOVO BRINQUEDO DO BRA...

XAU

O NOVO BRINQUEDO DO FAUST...

FAUSTO DEIXOU DE SER MILI...

Composição do João

NÃO SOU CANDIDATO A LIDER...

O festival da canção e aq...

O futuro foi feito no ant...

Algo sobre as passitas de...

Fumex

Gilberto Vicente - um esg...

CESARIANA = GAY - Teorias

Resposta estupidas para p...

Informático-dependente

Uma gaivota de Abril, uma...

Velharias

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

links
famoso piquenique
curiosos
alquiler de pisos
alquiler de pisos
blogs SAPO
subscrever feeds