"Todos os devaneios que me vão na cabeça, que me foram da cabeça e que me hão-de vir até à cabeça. Todas as mentiras e verdades que me foram impostas, todas as torturas que eu vi. Todos os momentos; um principio de vida, o meu desnascer."
Sexta-feira, 27 de Abril de 2007
FOTOGRAFIAS NA MESINHA DE CABECEIRA
 
Sou um gajo um bocado limitado e talvez por isso há determinadas coisas que eu não compreendo, ou não entendo. Pormenores do dia-a-dia, nada de muito importante. Por exemplo, não compreendo porque é que o Saramago não faz pontuação. Como vêm são coisitas banais que nem sequer me tiram o sono, ou não deviam tirar.
Como além de limitado também sou tímido não ando para ai a importunar as pessoas com estas minhas questões existenciais. Deixo a coisa andar. Deixem lá o velhote. No fundo o gajo deve ser feliz assim, sem pontos nem vírgulas, ou será que em Espanha não usam?!
Há no entanto um assunto que me intriga deveras, diariamente, já que desde há onze anos que levo com aquilo todos os dias. Porque é que se usa a fotografia do conjugue na mesinha de cabeceira ou em cima da cómoda ou ainda em cima da credencia no corredor? Será que isso faz parte de algum acórdão pré-nupcial, pré-institucionalizado? Sinceramente, não percebo. Eu ainda podia entender se fosse a minha fotografia do meu lado da cama e a fotografia dela do seu lado da cama. Isso até tinha alguma lógica, pois se chegasse bêbado a casa, olhava para a fotografia e saberia em que lado me deitar.
Teve uma altura em que a minha vontade era questioná-la sobre o porquê das fotografias estarem ali. Afinal de contas tanto os meus pais como os meus irmãos, como os tios de toda a gente, têm as respectivas fotos nas respectivas mesinhas e outros móveis da casa, por isso eu sempre supus que ou era tradição de família ou que devia haver alguma lei para isso.

No entanto esta noite algo mudou. Até pode ser que a dita lei exista, mas só pode ter sido criada por uma mulher. Esta história da fotografia na mesinha de cabeceira mais não é do que um superior e maquiavélico plano feminino para provocarem a morte do respectivo esposo. O objectivo mais não é do que ficarem viúvas.
Ontem à noite fui jantar a casa da minha apresentadora de televisão preferida, a Sonia Araújo. Cheguei lá por volta das nove da noite e ela estava a preparar-me um delicioso prato de qualquer coisa, com natas. Bebemos um Porto Ferreira enquanto a comida se fazia e fomos falando de coisas banais. É lógico que percebi logo que se tratava de um sonho, pois eu nunca estaria a jantar em casa da Soninha na vida real, já que ela é nova demais para mim, mas ainda assim o caminho que o sonho estava a levar agradava-me e deixei-me assim ir, embalado pelos lençóis. Jantamos bem, bebemos melhor e por fim continuamos a conversa acompanhados por uns digestivos. Não sei se foi do vinho, ou se foi do Whisky ou se foi do picante que estava nas natas, o que sei é que quando dei por ela ali estávamos nós... a tentar fazer a digestão.
Estivemos nisto a noite toda. Só adormecemos quando os primeiros raios de sol entravam pelas frestas da persiana. Acordei lentamente com um sorriso nos lábios. Aclarei a garganta rouca de tanto gemer com um pouco de água, abracei-a e sussurrei-lhe ao ouvido "Foi tão bom para ti como foi para mim?".
Para minha surpresa responde-me a minha parceira"Está calado que passas-te a noite toda a ressonar e a gemer e eu não preguei olho, deixa-me agora dormir!". Com o susto que apanhei, o meu ventrículo esquerdo entrou automaticamente em paragem. Foi ainda em choque que me virei para o lado contrário da cama, tentando assim restabelecer-me do profundo desgosto que tinha acabado de sofrer, quando o meu ventrículo direito entrou em colapso. Só tive tempo de soltar um fatídico grito…
Ali estava ela outra vez, agora em versão fotográfica...
Assim está explicado um dos mistérios do casamento.
 


publicado por faustofigueiredo às 15:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Túnel à português
Expliquem-me lá este mistério tuga de ir, aos milhares, caminhar num túnel?!...


publicado por faustofigueiredo às 14:58
link do post | comentar | favorito

SÓCRATES + falhas no processo + Uni = ANORMALIDADE pura
 
Pergunta do dia: Será o primeiro-ministro mesmo engenheiro?
Insatisfeito com o tratamento que dediquei ao assunto do grau académico do Primeiro-ministro José Sócrates, um leitor quase me obrigou a ter uma opinião sobre o assunto. É assim a vida: somos obrigados a ter uma opinião sobre tudo, ou temos um posicionamento ou não somos ninguém.
Se nunca me incomodou ser governado por advogados, porque me havia de incomodar ser governado por engenheiros? Ou mesmo quase-engenheiros? Ou semi-engenheiros, sei lá…
Incomoda-me ser governado por políticos incompetentes. Incomoda-me ter uma oposição tão fraca como a que o país tem actualmente, isso incomoda-me verdadeiramente. Incomoda-me o facto do CDS-PP, andar às turras, incomoda-me o facto de os jornais e a televisão abafarem as noticias da Casa Pia, com as noticias do Apito Dourado, incomoda-me escreverem 5 linhas por cada Presidente de Câmara constituído arguido e 150 por Sócrates ter feito exame a um domingo em casa e 232 linhas para se descobrir se o rapazola gosta de gajas ou prefere gajos. E a Carolina, que coisa interessante.
A melhor frase sobre o caso chegou-me escrita no “Messenger” um dia destes à noite. À falta de uma opinião própria sobre o caso, pedi-a de empréstimo ao autor, que me obsequiou com ela:
Sobre o assunto, veja-se este texto da autoria de Fernando Sobral, publicado no Jornal de Negócios de 7 de Março de 2006 (não, não me enganei na data!!):
"José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, primeiro-ministro desta República, tem um bacharelato em Engenharia Civil pelo ISEC (Instituto Superior de Engenharia de Coimbra), informação que não é contestada. Porém, na sua biografia oficial é dito que Sócrates Pinto de Sousa é “Licenciado em Engenharia Civil”. No perfil que foi publicado no Diário de Notícias, por Filipe Santos Costa, é dito que “…quando voltou à Covilhã, em 1981, Sócrates já tinha complementado o bacharelato com a licenciatura, em Lisboa”. Mas a licenciatura que existia em Lisboa nessa altura (1979-81) era no Instituto Superior Técnico, onde Sócrates não consta como aluno.Por isso, em 1981 Sócrates não estaria licenciado por Lisboa. Onde foi que se licenciou? Teria sido no ISEL (Instituto Superior de Engenharia de Lisboa) do Instituto Politécnico de Lisboa? É que aí a Licenciatura Bi-Etápica em Engenharia Civil só começou em 1998/99… No ISEC onde fez o bacharelato? Mas a licenciatura bietápica em Engenharia Civil no ISEC também só começou em 1998/99. Também não frequentou a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, nem o Instituto Superior Técnico, nem consta que tenha frequentado a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Portanto, não seria licenciado em 1981. NaOrdem dos Engenheiros também não está inscrito. O bacharelato em Engenharia Civil do ISEC tinha quatro anos (8 semestres) - só passou a três anos na reestruturação de 1988 (Decreto-Lei nº389/88, de 25 de Outubro) empreendida por Roberto Carneiro. Onde fez Sócrates a dezena e meia de cadeiras (veja-se o plano do 5.º ano da licenciatura no ISEL) que precisava com o bacharelato do ISEC para obter a licenciatura? Os Cursos de Estudos Superiores Especializados (4 semestres) só começaram no ISEC em 1991 e no ISEL em 1988 (Direcção, Gestão e Execução de Obras - 4 semestres) e 1990 (Transportes e Vias de Comunicação – 4 semestres). Além disso, um CESE não é uma licenciatura. Por isso, esta hipótese não parece plausível. Não é.Não consta que Sócrates tenha frequentado a licenciatura bi-etápica do ISEL ou do ISEC. Mas Sócrates afirma ainda que “concluiu depois uma pós-graduação em Engenharia Sanitária pela Escola Nacional de Saúde Pública” (ENSP). Todavia, o curso de Engenharia Sanitária é leccionado desde 1975 na Universidade Nova de Lisboa, pertencendo, desde a criação das faculdades da Nova, à sua Faculdade de Ciências e Tecnologia, primeiro sob a forma de curso de especialização e a partir de 1983 como mestrado. Exige a licenciatura como condição de admissão. Nunca pertenceu à Escola Nacional de Saúde Pública (que em Abril de 1994 foi integrada na Universidade Nova de Lisboa). Mas Sócrates não foi aluno desse curso de Engenharia Sanitária daFaculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (que foi criado em 1975) - nem ele o diz, pois refere expressamente que a sua “pós-graduação” foi na ENSP. Então, que curso de Engenharia Sanitária fez? Chamar-se-ia mesmo “pós-graduação”? Ou seria um curso de curta duração na ENSP? E em que ano decorreu? Sócrates já seria licenciado quando frequentou essa “pós-graduação”? O que parece verdadeiro é que José Sócrates Pinto de Sousa terá obtido em 1996 uma licenciatura em Engenharia Civil pela Universidade Independente !!!!! Que equivalências lhe foram atribuídas e quantas cadeiras teve de frequentar e concluir ??? Se compararmos os planos dos dois cursos - o bacharelato do Politécnico de Coimbra e a licenciatura daUniversidade Independente -, e as respectivas disciplinas, chegamos à conclusão de que um candidato com o bacharelato do ISEC precisa de fazer 10 cadeiras (existem algumas disciplinas do curso na Universidade Independente que não têm correspondência no curso de Coimbra) e mais uma de Projecto para se licenciar na Universidade Independente de Lisboa. Não deve ter sido fácil, tendo em conta que Sócrates teria concluído o bacharelato em 1979. A Licenciatura em Engenharia Civil na Universidade Independente foi criada pela Portaria n.º 496/95 de 24 de Maio de 1995, embora o diploma tenha, retroactivamente, autorizado o funcionamento do curso desde o ano lectivo de 1994/95. Ora, o primeiro governo de António Guterres (o 13.ºGoverno Constitucional) toma posse em 28 de Outubro de 1995 e José Sócrates é ministro-adjunto do primeiro-ministro. Nessa desgastante função, José Sócrates parece ter encontrado tempo e concentração, na mesma altura em que prepara e participa na campanha eleitoral durante o ano de 1995 e, já no Governo, adjuva o primeiro-ministro e coordena as secretarias de Estado da Comunicação Social, Desporto e Juventude, para, quinze anos depois do seu bacharelato, realizar as 11 cadeiras que, em princípio, teve de efectuar para obter o título de licenciado em Engenharia Civil em 1996. Deve ter sido muito difícil, um esforço quase sobre-humano. Não há motivo algum para que Sócrates tenha escondido do povo português a sua epopeia académica, a não ser por modéstia, o que, neste caso, não se justifica. É um motivo de grande orgulho próprio e um exemplo de sucesso para jovens e adultos. Enfim, não é de admirar a surpresa do engenheiro sanitário Pinto de Sousa perante a realidade técnica dos finlandeses.
 
Bonito, acrescento eu... País este que parou, para ver se o Eusébio, era operado à veia ou ao joelho.
 


publicado por faustofigueiredo às 14:37
link do post | comentar | favorito

Entre a mera estupidez e a esquizofrenia
 Têm sido polémicos e tido alguma visibilidade mediática muito acima do seu real valor. São minúsculos e um grande contributo à educação das nossas crianças ao serem o exemplo perfeito do que de mau pode ter um movimento, seja lá de que natureza for. São os movimentos de extrema-direita, representados actualmente pelo Partido Nacional Renovador. O seu discurso caracteriza-se entre uma imagem esquizofrénica ou a simples estupidez. Aqui estão apenas uns excertos representativos do mesmo:

"Eu respeito as instituições(...) Não respeito os deputados (...) Não respeito nenhum deputado desde o BE à direitazinha medíocre do CDS-PP." Ou seja respeitam as Instituições mas não as que são Partidos votados em democracia como o BE, PCP, PS, PSD e CDS-PP. Uma perfeita coerência e futilidade demagógica.
Outra característica de esquizofrenia é a mania da perseguição que está bastante presente nas palavras do líder do PNR: "O presidente do PNR não tem problemas nenhuns em dizer que há um lobby gay cada vez mais enraizado no sistema político português e que está a levar a água ao seu moinho. (...) Portugal está crescentemente dominado por uma mentalidade esquerdista e temos que pôr um travão. É cada vez mais o lobby gay a mandar..." Mas o mais interessante no PNR é como ele afasta o seu apoio a associações de extrema direita, afirma que o seu partido não é racista mas tem as seguintes afirmações:
"Como vê esta associação entre o PNR e um grupo extremista? Ao contrário daqueles que se reclamam campeões da tolerância e da liberdade, nós não fazemos discriminação de pessoas. Quem se quiser juntar à defesa da causa da soberania nacional, da identidade nacional, são todos bem-vindos. Para mim é indiferente se é careca, se é cabeludo." Diria mais, que não lhe interesse que valorize tanto um condenado por um crime racial da maior cobardia em que um imigrante foi assassinado por uma dezena de pessoas quando estava a passear no Bairro Alto, em Lisboa.
"O pontapé de saída, a campanha de angariação de fundos, isso sim, a ideia foi dele [Mário Machado]. A ideia gráfica do cartaz foi minha"(...) Sou amigo do Mário, é um excelente nacionalista. Aprovo todos os tipos de nacionalismo, de toda a gente que ama a sua pátria. O Mário foi a face mais visível da fase impulsionadora do nacionalismo." Quanto à organização de um evento com organizações racistas e diria criminosas ele é peremptório:
"A organização cabe à JN. É claro que a JN é do PNR, portanto o PNR é responsável por tudo. Este encontro tem como objectivo a troca de experiências entre os vários movimentos e juventudes nacionalistas europeias."
Outras tiradas brilhantes são as seguintes:
"Eu acho que as pessoas olham para mim e vêem que não tenho ar de charlatão." Está completamente enganado mas a ignorância pode ser, por vezes, uma bênção.
"Todos os anos, o TC é implacável com os partidos nas coimas que aplica. Acho que é de uma profunda injustiça..." Claro que quando uma instituição funciona é sempre uma injustiça...
"Ridicularizam-nos por ter apenas dez mil votos, mas o sistema sabe que teremos centenas de milhares de votos, um milhão de votos e por aí sucessivamente. É por isso que nos vandalizam os cartazes e nos ridicularizam. Porque sabem que estamos a crescer. Neste momento sentimos que o sistema está profundamente nervoso connosco." Além de ter as manias das grandezas, ele ainda não se apercebeu que o ridículo está nele e no seu discurso.
Estes excertos foram retirados de uma entrevista que o líder do PNR concedeu ao jornal Sol.
 
Algo vai mal, neste mundo, cheio de mal amados e exotéricos malfadados, que da sua natural e habitual mesquinhez, tentam fazer de nós, as pessoas, anormalmente normais, estúpidos ignorantes e pseudo burocratas. Será que nós é que estamos enganados? Não, acho que não.





publicado por faustofigueiredo às 14:22
link do post | comentar | favorito

25 DE ABRIL, FEDORENTO
 

Passou mais um 25 de Abril. Dia em que se comemorou uma revolução com mais de 30 anos. O dia em que conquistamos valores como a liberdade, justiça, igualdade, o direito à educação ou o fim da censura.

Todos os anos comemora-se este dia, um pouco por todo o país. A cada ano que passa esta comemoração tem menos gente, menos entusiasmo. Resumem-se, normalmente a um discurso, sem dúvida importante, mas a cheirar a mofo… E a memória daqueles que tinham razão de queixa, vai-se perdendo.

Ora vem isto a pretexto da ideia que a Juventude Socialista, com o apoio imediato da Juventude Bloquista teve de convidar o “gato” Ricardo Araújo Pereira para fazer o discurso representante dos jovens. E para os jovens. A ideia era óptima! Em vez de um representante de uma qualquer juventude a fazer um discurso banal, teríamos um ídolo da juventude que poderia mostrar àqueles que nasceram depois da revolução a importância que esta teve no dia-a-dia de todos. Poderia “despertar” algumas mentes para a importância da democracia. Quando à noite, no telejornal, a reportagem passasse, em vez de ignorarem, muitos jovens poriam mais alto para ouvirem o “fedorento”. E alguma mensagem passaria. Mas eis que surge a Juventude Comunista, quais iluminados, que inviabilizou o nome de Ricardo Araújo Pereira! Porquê? Se bem os conheço a única razão foi a de o humorista ter sido militante da Juventude Comunista e ter cometido o crime de abandonar a militância. Ou seja, por puro despeito a Juventude Comunista impediu uma comemoração um pouco diferente, e certamente mais apelativa. Basicamente, os Jovens Comunistas CENSURARAM as comemorações de Abril!!! Irónico, não? Ao que parece os Jovens Comunistas ainda não entenderam bem o significado do 25 de Abril! O facto de terem contribuído decisivamente para a Revolução não dá aos comunistas o direito de se apropriarem dela. Porque a liberdade conquistada foi para todos, não só para alguns… E isso parece difícil de explicar. Já tive conhecidos, durante a minha juventude, que militam ou militaram na JCP. Alguns já saíram por não gostarem das palas que lhes queriam colocar. E não gostavam desta mesquinhez de alguns dos seus membros.

Custa-me a pensar, e mais ainda a verbalizar, mas estas atitudes levam-me a pensar que muitos comunistas lutaram pela revolução, não para termos todos a liberdade desejada, mas sim para imporem a sua visão limitada de liberdade. Assim, o espírito do 25 de Abril, vai-se perdendo nestas guerrinhas. E que desgosto devem ter aqueles que lutaram verdadeiramente pela liberdade.



publicado por faustofigueiredo às 14:12
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 17 de Abril de 2007
A VERDADE VEM SEMPRE AO CIMO (COMO O AZEITE)
 
Finalmente, um dia destes, fiquei a saber o que é que Camões queria dizer com aquela tanga do fogo que arde sem se ver.
Aliás, nunca tinha sofrido assim. É verdade. Sofro desde esse dia... azia.
E a culpa disto tudo, infelizmente, não se deve a nenhum tipo de comezaina. Não, até porque se bem me lembro ontem praticamente não comi nada. Só bebi líquidos, principalmente água.
E o que é que me provocou a azia? Bom, primeiro comecei com uma ligeira impressão no estômago, isto tudo porque o meu amigo árbitro, do jogo contra o meu Terras, teve o desplante de cometer a heresia de não marcar uma falta aos 93mts sobre o meu guarda-redes. Estava eu já a festejar o grande resultado!!!!!
Não fossem os dois seguranças de vestido de noite, com camisolinha azul e calçõezinhos pretos, que ele trazia com ele e eu tinha-lhe enfiado mas era o apito pelo cu acima. Fiquei logo com o dia estragado. Até rasguei os meus cartões de sócio das porcarias das associações todas que há em Carrazedo.
Estava de tal maneira furioso com o futebol que à noite quando vi que a TVI se preparava para transmitir um documentário sobre o futuro campeão nacional em debate com a equipa mais estudante do país, mudei logo para o Canal 1. Foi assim que muito tempo depois voltei a ouvir a irritante voz do Professor Marcelo.
Aos meses que eu não ouvia o raio do homem falar. Já fui grande fã do senhor professor mas desde que soube que o homem só dorme 4 horas por noite e que lê 327 livros por dia que passei a não o suportar.
Eu até podia admitir que alguém lesse mais livros num dia do que eu numa vida, agora que durma menos do que eu? Isso eu não admito. Se há alguém que dorme pouco sou eu. Só assim se compreende as alucinações que tenho para escrever aqui estas coisas.
Estava então eu a ouvir o professor, já com um ligeiro ardor no estômago quando se instala então, a verdadeira azia. Então não é que ouvi o gajo dizer que Sócrates não podia usar o título de Engenheiro porque não estava inscrito na ordem dos Engenheiros!
Foi como se tivesse levado um murro mesmo na boca. Na boca do estômago, é claro. Então provavelmente milhares de portugueses, que até são Engenheiros, mas porque nunca precisaram de isso para nada nunca se inscreveram na ordem, não podem usar o título????? Não?????? Então e agora?????? E aqueles que tiraram o curso só para ter um título! Então e isso quer dizer que vão ter que rasgar a porcaria dos cheques todos? E os cartões de crédito também?
Conhecendo bem o nosso primeiro como eu conheço deduzi logo que ele estivesse a ver algo mais interessante do que o professor Marcelo. Quase que podia apostar que devia estar a ver o Travel Channel ou o Fashion TV, por isso liguei-lhe logo a contar-lhe o que tinha acabado de assistir.
Enfim, tivemos uma conversa interessante. Sócrates prometeu-me uma inscrição na ordem dos Engenheiros para que eu não tenha que deitar fora o cartão do El Corte Inglês, se eu em troca usasse este espaço, visto por milhares e milhares de cibernautas para desmentir que ele não esteja inscrito na ordem.
Venho pois por este meio provar que o meu amigo Sócrates pertence à ordem dos Engenheiros, sim senhora!
Aproveito também para afirmar aqui, que o Mantorras não é coxo, apenas tem uns cm a menos numa perna, e que o engenheiro do penta e agora o do tenta (tentou ganhar a taça UEFA, a taça de Portugal, o campeonato), não se formou na Independente.


publicado por faustofigueiredo às 14:10
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 12 de Abril de 2007
FORAM TRÊS SEMANAS DE ARROMBA
Nasceu uma nova esperança do FCP ser campeão, trabalhei que nem um cão, incluindo fins-de-semana.
Quando as noites chegam, mal tenho energia para desfolhar o jornal e, quando o faço, fico sempre ligeiramente nauseado.
Este país é mesmo uma seca, como dizia o outro.
Agora, parece que um tipo qualquer de Alcobaça, tem usado o seu blog para levantar suspeitas sobre a licenciatura de Sócrates, em engenharia civil, na Universidade Independente.
Parece que o Primeiro-ministro não terá feito as cadeiras todas, arranjou umas equivalências manhosas e terá acabado o curso sem frequentar as aulas. Se o fez, não é o único.
Enfim… o Jornal Público embarcou nesta treta e vá de fazer uma “investigação”, enchendo duas páginas com datas e declarações e troca de mensagens, numa tentativa de esclarecer a verdade: será que Sócrates é mesmo engenheiro?
Disto depende o futuro da Pátria.
O PSD, em vez de ficar caladinho, vem a público exigir que o gabinete do primeiro-ministro explique tudo. Porquê? Se Sócrates não for engenheiro, o que acontece? É por Sócrates ser (ou não ser) engenheiro que deixa de ser (ou passa a ser) um grande primeiro-ministro?
Há cerca de dois anos, correu o boato que Sócrates era homossexual - agora, querem provar que o homem nem engenheiro é.
Quer dizer: já que não és paneleiro, prova lá que és engenheiro?
Ridículo!
Tal como aconteceu com a Universidade Moderna, fala-se de tráficos vários, fugas de capitais e outras malfeitorias, todas relacionadas com a Universidade Independente.
Está visto para que servem as Universidades em Portugal…
Golpes de Estado acontecem, também, todos os dias no CDS-PP (Clube Dos Servos de Paulo Portas).
Fizeram um Conselho Nacional e parece que andaram à porrada, terão chamado filha da p… à Maria José Nogueira Pinto e houve até um deputado que parece que a agrediu, embora ele negue e diga que ela só o acusou porque ele é preto.
Lindo partido…
Imaginem o que seria se, em vez de partido, o CDS fosse inteiro!
Entretanto, a DECO (organização que tem nome de jogador de futebol), realizou um estudo extraordinário, que fez as delícias dos jornais: recrutou um grupo de colaboradores, que fizeram de conta que estavam doentes; foram ao médico queixar-se de dores de garganta e mais de metade dos médicos receitou-lhes antibiótico.
Vejam bem a incompetência destes doutores da mula russa: receitam antibióticos a torto e a direito, mesmo a quem não precisa deles!
Ora bem, nunca fui solidário. Claro que há médicos incompetentes, como há canalizadores, engenheiros, semi-engenheiros, calceteiros, jornalistas e colaboradores da DECO que não sabem o que fazem. Mas este estudo é revelador da mediocridade que impera nesta choldra - mediocridade amplificada pela comunicação social.
Então, a DECO enviou colaboradores, “em perfeito estado de saúde”, preparados para enganar os médicos, dizendo-lhes que sofriam de dores de garganta. Foram a 67 médicos (58 consultórios privados e 9 centros de saúde) e 37 destes médicos receitaram antibióticos aos falsos doentes, embora seis destes 37 médicos tivessem passado o antibiótico em receita à parte, dizendo que era só para aviar se as queixas piorassem.
Que validade terá um estudo como este? Falsos doentes merecem falsos médicos!
Se um doente vai à consulta do seu médico dizer que passou o dia a fazer diarreia, ele deve-lhe prescrever um anti-diarreico ou pedir para ele se borrar à sua frente, para confirmar que é diarreia?
Perante estes exemplos, um gajo fica cada vez mais desiludido com o país em que vive, caramba!
Depois, assiste-se a manifestações contra o fecho das maternidades, dos serviços de urgência, das esquadras da polícia e da GNR, dos tribunais e, agora, também dos consulados.
E um tipo pergunta: por que raio não se fecha esta porcaria de país?
Assim, sempre poderemos votar no Franco…
  


publicado por faustofigueiredo às 17:29
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

PORQUÊ O ARY

Poeta português, natural de Lisboa. Saiu de casa aos 16 anos, exercendo várias actividades como meio de subsistência.
Revelando-se como poeta com a obra Asas (1953), publicou, em 1963, o livro Liturgia de Sangue, a que se seguiram Azul Existe, Tempo de Lenda das Amendoeiras e Adereços, Endereços (todos de 1965). Em 1969, colaborou na campanha da Comissão Democrática Eleitoral e, mais tarde, filiou-se no Partido Comunista Português, tendo tido uma intervenção politizada, mas muito pessoal.
Ficou sobretudo conhecido como autor de poemas para canções do Concurso da Canção da RTP. Os seus temas «Desfolhada» e «Tourada» saíram ambos vencedores. Em 1971, foi atribuído a «Meu Amor, Meu Amor», também da sua autoria, o grande prémio da Canção Discográfica. Declamador, gravou os discos «Ary Por Si Próprio» (1970), «Poesia Política» (1974), «Bandeira Comunista» (1977) e «Ary por Ary» (1979), entre outros. Publicou ainda os volumes Insofrimento In Sofrimento (1969), Fotos-Grafias (1971), Resumo (1973), As Portas que Abril Abriu (1975), O Sangue das Palavras (1979) e 20 Anos de Poesia (1983). Em 1994, foi editada Obra Poética, uma colectânea das suas obras.
Personalidade entusiasta e irreverente, muitos dos seus textos têm um forte tom satírico e até panfletário, anticonvencional, contribuindo decisivamente para a abertura de novas possibilidades para a música popular portuguesa. Deixou cerca de 600 textos destinados a canções.

Ary é português, fez bem a Abril, está na história portuguesa e não foi votado para maior. Não sou de esquerda, antes pelo contrário. Sou a favor dos bons, sou alguém que diz... ÉS POETA, ÉS PORTUGUÊS... COMO TAL MERECES O MEU RESPEITO E A MINHA HOMENAGEM.

"Não sou mulher, nem sou Homem, sou roto" - António Boto
Que ano é hoje hem???



publicado por faustofigueiredo às 16:00
link do post | comentar | favorito

POEMAS DE ARY
RETRATO ALVÍNICO

OLHAR ALARVE. A PICHA DIMINUTA
NÃO BOLE. NÃO TRABALHA. NÃO FAZ NADA.
FILHO BASTARDO DE UMA GRANDE PUTA
TEM VENÉREO NA PEIDA ESPAPAÇADA.

COM MÃOS SUADAS MAS NÃO DA LABUTA
MEXE E REMEXE INÚTIL PAPELADA.
MAS NÃO VÊ NÃO ENTENDE NÃO DISCRUTA
POIS NEM SEQUER CONHECE A TABUADA.

INVENTA-SE A SI MESMO. É UM ARROTO
DE PURA INCOMPETÊNCIA QUE SE DIZ
FIDALGO CRIATIVO DIRECTOR.

É UM BANDALHO UM ASCO UM MERO ESCROTO
E PARA ALÉM DE SER UM INFELIZ
É CONHECIDO POR JOÃO ESTUPOR

Ary dos Santos
Poeta castrado não!

Serei tudo o que disserem
por inveja ou negação:
cabeçudo dromedário
fogueira de exibição
teorema corolário
poema de mão em mão
lãzudo publicitário
malabarista cabrão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

Os que entendem como eu
as linhas com que me escrevo
reconhecem o que é meu
em tudo quanto lhes devo:
ternura como já disse
sempre que faço um poema;
saudade que se partisse
me alagaria de pena;
e também uma alegria
uma coragem serena
em renegar a poesia
quando ela nos envenena.

Os que entendem como eu
a força que tem um verso
reconhecem o que é seu
quando lhes mostro o reverso:

Da fome já não se fala
- é tão vulgar que nos cansa -
mas que dizer de uma bala
num esqueleto de criança?

Do frio não reza a história
- a morte é branda e letal -
mas que dizer da memória
de uma bomba de napalm?

E o resto que pode ser
o poema dia a dia?
- Um bisturi a crescer
nas coxas de uma judia;
um filho que vai nascer
parido por asfixia?!
- Ah não me venham dizer
que é fonética a poesia!

Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo mau profeta
falso médico ladrão
prostituta proxeneta
espoleta televisão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

Ary dos Santos

 




publicado por faustofigueiredo às 15:54
link do post | comentar | favorito

ENTREVISTA COM DEUS, O NOSSO DEUSIGNER

Deus é um brincalhão. Um experimentalista inventor, que criou esta gaita toda. Deus criou o Homem não à sua imagem, mas como Designer que é (devo dizer Deusigner) decidiu criar um macaco sem pelos que pudesse comunicar de forma diferente e animar um pouco a malta que naquela altura era um pouco monótona. Só que como Deus (Deusigner) que é, não poderia criar logo uma obra perfeita. Decidiu passar alguns milhões de anos a entreter-se no seu projecto megalómano, a OTA lá do sítio, para que tivesse uma obra mais pomposa. Digamos, mais tipicamente sua no fim.
E assim criou o homem
E criou um macaco sem pelo para ser diferente dos outros
Só que... Cometeu um erro, (ou nem por isso, porque como é Deus ele sabe Tudo que faz e logo é tecnicamente impossível cometer erros porque ele está cientes deles e até os comete propositadamente (aqui uma pessoa muito amiga minha diz que Deus é sádico e eu devo concordar com isso). Criou o macaco sem pelo. Mas com as necessidades fisiológicas como todos os outros animais!
Ou seja, o sexo.
E aqui é que a criação deu bode. O pobre animal vagueou de gaja em gaja sem parar porque estava nu, li isto numa passagem bíblica. E é verdade. Nasceu aí o "pecado" (claro que tal coisa não existe mas é evidente que é uma coisa não sensata que o Homem faz). E que coisa é essa? Não é praticar sexo sem parar (como os religiosos entenderam... e entenderam mal (estúpidos são estes humanos!). É praticar sexo (ou diria até Fornicar) sem parar, à desresponsável (sim porque o sexo é para ser feito responsavelmente como diz Deus, apesar de ele também apelar à "maluquice"). E é fornicar sem parar com este e com aquele, e cruzando tudo, estou com este e depois com aquele quase ao mesmo tempo e a certa altura engravida-se alguém.
Pois!
Foi isso que deu bode. A humanidade atingiu os seus 6 biliões de habitantes (6000000000) e assim surgiram todas as guerras, opressões, injustiças e catástrofes de poluição e destruição ambiental.
Diz Deus (o Deusigner) em entrevista ao canal estatal: - "Eu quis e quero que eles cozam” – “Eu quero que tenham o maior dos prazeres com sexo e a sua diversão social, mas que não ultrapassem o meu limite de 1 bilião ou 2 no máximo, não mais que isso!”
“No fundo disse crescei e multiplicai-vos, mas não disse, crescei e multiplicai-vos para aí a dar com um pau!” – “A Terra só aguenta 1 bilião –tenham isso em conta."
E adverte:
"Eu já tentei tudo (inclusive impor-vos a monogamia para que vocês funcionassem, mas fracassou. Vocês, simplesmente, não conseguem manter a vossa fidelidade amorosa (e com ela fracassam no todo e verdadeiro significado do amor: a união de duas pessoas), e quando digo união é uma coisa bela e mágica, uma união espiritual."
Continua e ameaça (porque é sádico e no fundo ele é quem manda nesta gaita toda), "Eu vou agora apostar nas catástrofes climáticas e geológicas para ver se limpo uns quantos de vocês. Pode ser que acordem ao pensar no que fizeram. E vou fazê-lo até aparecer em 2013, o ano do maior castigo". E porque o 13? Sim, Deus (o experimentalista brincalhão) vive na obsessão dos 13 desde os seus treze anos, desde que criou o homem e as treze raças iniciais. "Antes tinha também a obsessão dos sete. Como podem ver criei as sete notas musicais, as sete cores do arco-íris, os sete dias da criação, os sete pecados mortais, as sete dimensões do universo...." Deus adverte e confessou-nos estar zangado com o Vaticano, ameaçar com uma nova idade do gelo, é contra a tecnologia em larga escala (como a clonagem, a manipulação genética e a indústria dos químicos), é um acérrimo defensor do ambiente (afinal é a sua criação), bebe uns copos de vez em quando (mas duma bebida que não temos na Terra porque diz que o álcool faz mal), advoga a homossexualidade, prefere a monogamia e diz que Bush, Bin Laden e os lixeiros em greve são tão iguais como o teu pai, a tua mãe ou a prostituta ali do lado. Deus disse também que ia ser Salazar o próximo vencedor (e o mais desejável) e ele diz que vamos ter algo que vai mudar profundamente Portugal ainda antes das eleições e que nos vai fazer levar a votar neste candidato indirectamente.
Mais não disse Deus, que seguiu o seu caminho, e para que nada o aborrecesse desligou o telemóvel e o Messenger.
 


publicado por faustofigueiredo às 15:53
link do post | comentar | favorito

o que voçês queriam saber sobre mim
procure aqui
 
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

MEU NOVO BRINQUEDO DO BRA...

XAU

O NOVO BRINQUEDO DO FAUST...

FAUSTO DEIXOU DE SER MILI...

Composição do João

NÃO SOU CANDIDATO A LIDER...

O festival da canção e aq...

O futuro foi feito no ant...

Algo sobre as passitas de...

Fumex

Gilberto Vicente - um esg...

CESARIANA = GAY - Teorias

Resposta estupidas para p...

Informático-dependente

Uma gaivota de Abril, uma...

Velharias

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds