"Todos os devaneios que me vão na cabeça, que me foram da cabeça e que me hão-de vir até à cabeça. Todas as mentiras e verdades que me foram impostas, todas as torturas que eu vi. Todos os momentos; um principio de vida, o meu desnascer."
Quinta-feira, 28 de Junho de 2007
MEIO ANO DE VIDA
 
Este blog, fez no dia 25 de Junho, meio ano.
Como todos os gajos que entrámos nesta tanga dos blogs, também eu tinha um objectivo quando criei “Os devaneios do Fausto”. A minha ideia inicial era ter um bocadinho de espaço, onde pudesse escrever sobre qualquer coisa. Queria falar aqui sobre situações que me tivessem marcado ao longo da minha vida, por exemplo: o nascimento dos meus sobrinhos, o vigésimo terceiro casamento do meu irmão, a criação de um terceiro padrasto, uma madrasta que não é madrasta porque o pai não é meu pai, etc.
Depois, bem depois a coisa deu para o torto e perante a reprovação familiar devido à exposição pública da mesma, comecei a fazer uso deste blog para passar a postar "sobre aquilo que me vem à cabeça": gajas, gajos, politica, futebol, vizinhos, benfica, gajas outra vez, etc.
Acho que já o disse aqui, cada um destes posts que por aqui fui colocando, foi parido com muita dor e intensidade. Continuo a ser ludibriado pelo meu teclado e pela porcaria dos meus devaneios, misturando-se com as ideias iniciais de cada texto. Essas, fogem-me a uma velocidade estonteante à medida que as vou escrevendo - este mesmo texto tinha como projecto inicial dizer que fiz meio-ano ano de blog, fiquem pois com essa ideia. Tudo resto é um delírio. Continuo a achar que o resultado final, nunca é o que eu tinha em mente, inicialmente.
Fico sempre cheio de dúvidas quando chega a hora de carregar naquele botão laranjinha que diz "publicar post". Destes textos todos, poderei gostar de uma dezena deles - eventualmente aqueles que não tiveram o trabalho do revisor oficial de erros, aqueles que nem sequer pensei nas consequências que deles poderiam advir. O resto, bem o resto coloco aqui porque me dá na real gana, essa que foi a mais bela das minhas conquistas da vida, dizer, escrever e fazer o que me apetece e marimbar no politicamente correcto.
Apesar de tudo guardo com especial carinho e paixão, as coisas boas que me aconteceram por ter este blog: aos amigos que ganhei, as pessoas que conheci, as coisas boas que me ensinaram, um colega de há mais de 20 anos com que voltei a escrever, uma amizade que revitalizei, etc...
Criei o blog sozinho. O Fausto Figueiredo, esse professor inimitável que tive e que me ensinou tudo o que sei dizer em Inglês, serviu para mim de referência, talvez pela coragem que ele, como invisual, tinha em relação à época.
Tinha e ainda tenho vergonha de dizer que tenho um blog. Também não me orgulho assim por aí além das coisas que escrevo por aqui. Uma semana depois do primeiro texto, quebrei o silêncio e contei ao meu irmão, tempos mais tarde disse aos meus amigos mais chegados, atitude que já revelou uma coragem fantástica. Os restantes leitores não sei de onde é que chegaram nem tão pouco como me descobriram, mas, diga-se de passagem, serão sempre bem-vindos. Não escrevo para aumentar o meu número de visitas nem para ter mais comments. Fico obviamente contente quando vejo que eles aparecem, mas ainda fico, um bocado, sem jeito quando sei que o fazem: ontem conheci pessoalmente uma pessoa que me lê. Não a conhecia de lado nenhum e fiquei meio parvo quando ela disse aquela frase: ah, eu conheço-te, costumo ler-te.
Meio ano depois, sei que escrevo, sei que opino, sei que aparvalho, sei que devaneio, o que não faço a menor ideia e nem consigo entender, é porque é que alguns me lêem e gostam. Bem, há quem goste da Ana Malhoa, portanto… “Há razões que a própria razão desconhece”

sinto-me: O DONO DO MUNDO
música: parabens a vç

publicado por faustofigueiredo às 14:13
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quarta-feira, 27 de Junho de 2007
DMR (Devaneios Muita Rápidos)
Os DMR (Devaneios Muita Rápidos) são devaneios na hora. São aqueles pensamentos, que só na cabeça de quem não tem de fazer, alguma vez podem surgir. Mente brilhante, esta a minha, capaz de debitar tamanhas frustrações ideológicas. Assim o resultado de uma tarde de passeador de pestanas deu nisto:
 
1 - Parece-me bastante desigual esta guerra entre o Mourinho e o resto do mundo (árbitros, imprensa, UEFA, Super-Dragões, etc.) Obviamente, o resto do mundo precisa de ajuda.
 
2 - Eu cá acho que os gajos do Gato Fedorento têm razão. O Jornal Nacional (TVI) já foi declarado como calamidade pública.
 
3 - A grande diferença entre o velhinho serial killer de Santa Comba Dão e o outro mais recente, é que este ultimo não mandava a PIDE fazer o serviço.
 
4 – Pauleta, o nosso craque dos Açores, anunciou que não ia jogar mais pela selecção nacional. Isto significa que, no Europeu de 2008, vamos, assim, ter a oportunidade de ver tantos golos do Pauleta, como no Europeu de 2004.
 
5 - Na noite de S. João, espero conseguir dar uma martelada na minha vizinha...
 
6 - O nosso Duarte de Trás-os-Montes disse para a revista “Sábado”:
"Fui ter com a Isabel ao Brasil e pedi-a em casamento num barco. Disse-lhe: ou me dás a resposta já, ou atiro-te à água"
Com um rei destes para que queremos um Presidente da Republica?
 
7 - Sérgio era adepto do “Coitus Interruptus”. Uma vez esqueceu-se de tirar e então foi vê-lo a andar pelas ruas a cantar assim:
 
“A princípio é simples anda-se sozinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no borburinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida.
Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida...”
 
8 - Queres afrontar os teus pais, mas sem te meteres na droga?
Tens uma promessa para pagar e ir de joelhos até ao fundo do jardim não chega?
Gostavas de tocar no cabelo do Baia para ter a certeza que é verdadeiro?
Estás descontente com a tua cor de pele?
Então inscreve-te da Sagrada Ordem dos Benfiquistas. Na santa claque dos “No Name Boys”, droga não entra. Não se fazem promessas pelo campeonato, pois nunca ganham, só é burro quem promete. Prometemos que vamos brindar os sócios com um boneco igualzinho ao Vítor Baia, para poderes puxar os cabelos e saciares essa tua raiva de benfiquista abichanado. 80% dos adeptos são negros, para que queres ser caucasiano?
 
9 – A culpa de este governo só fazer merda será por causa do “detector”?
10 - Será que as criancinhas de hoje são gordas para imitar os seus idolos do Wrestling?
11 - Porque será que os portugas do sul ficaram tão chateados com o Mario Lino? Não é verdade que aquilo é um deserto?
12 - 13% dos desastres rodoviários são provocados pelo alcool. Quer dizer então que 87% são pela água?


publicado por faustofigueiredo às 17:32
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 22 de Junho de 2007
TRANSFORMAÇÕES HORRIPILANTES
 
 As coisas não têm nexo quando o extremismo chega a um ponto que não tem lógica. Seria abusador da parte de alguém achar que será preciso fazer o pino para ver quando tudo se encaixa?
Os “transformers” estão na moda, ele é filmes, ele é brinquedos, etc.
Não há muito tempo deparei com uma página repleta de gajas com um apêndice à frente. Minha mente começou a baralhar-se, ao ponto de ficar chocado com o que estava a ver. Aos quarenta e dois, achei eu, já ter visto tudo. Mentira, ainda há quem provoque a minha ira. Não o facto de “eles” terem mamas, mas logo me subiu à cabecita todo o tipo de transformações. Rapidamente comecei a enumera-los e a classificá-los. Os primeiros que me lembrei foram os lobisomens. Esses não saem todas as noites, só nas de lua cheia. São seres animalescos, que nas iluminadas noites se deliciam com a carne humana, e não só, que encontram por esse mundo fora.
Depois chegaram os vampiros. Com muita mais classe (aparente pelo menos), não se transformam, apenas saem à noite pois não o podem fazer de dia, correndo o risco de se evaporarem em fumo, o que não deve ser uma sensação equiparável, digamos, a um orgasmo por exemplo. Talvez tenha mais parecenças com agonia pura e dado este facto, sempre fugiram da luz, para consumirem humanos normais, sempre usando a sua perspicácia para enganar as suas presas.
Ora bem, chegou a altura de fazer toda a analogia inerente ao próprio título deste artigo e portanto explorar situações cómicas que daí possam advir.
Começamos pelos travestis. Esses não saem só à noite, é vê-los no Carnaval por toda a parte, são seres animalescos, na medida em que possuem características femininas, roupa e maquilhagem, mas ao mesmo tempo traços vincados (principalmente na área pélvica e por aí abaixo) da sua masculinidade. Sendo um exemplo a falta de aplicação de creme depilatório nas perninhas.
Já os (as?) Drag Queens, só saem de noite, e são reconhecíveis pelas suas parecenças (não vou dizer com mulheres) com o José Castelo Branco. Vestem-se com exuberantes vestidos, plumas, coroas e toda uma parafernália feminina, normalmente só vista em cabarets. Mas os (as?) Drag Queens são em certa medida muito parecidos(as?) com os vampiros.
Porquê? Porque também seguem o caminho do engano e da mentira para os seus propósitos.

Ora vejamos uma conversa entre um pessoa perfeitamente normal e uma aberração dessas:
Pessoa normal: "És Gay?"
Drag Queen: "Sou uma Drag Queen!"
P.N.: "Bolas... isso é ser Gay!"
D.G.: "Cada coisa no seu sítio... eu não sou homossexual, é apenas uma brincadeira, é
giro. Nada mais, eu tenho filhos e tudo!"
P.N.: "És um roto... e ainda por cima comes a tua mulher que é toda boa só para disfarçar, roubando a um heterossexual esse prazer!"
D.G.: "Epá.. não admito que me fales nesses termos! Dá cá um beijinho e vamos fazer
as pazes."
Neste momento o vampiro (Drag Queen) mandava a sua mordidela (beijoquinha) e
pronto... mais uma vítima.
Com tudo isto podemos então ter em conta que por muito que a humanidade mude,
sempre haverão transformistas prontos para sacar carninha fresca.


publicado por faustofigueiredo às 00:18
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 21 de Junho de 2007
ESSA GAJA QUE DÁ PELO NOME DE “FICANTE”
Valquíria não surgiu em meu caminho para me levar ao Deus Odin.
Valquiria ,esse nome robusto, era tão só a minha “ficante”. E perguntarão voçês o que é uma “ficante”?! Eu passo a explicar:
Ficante” é qualquer coisa parecida com um pinante. Ou seja, pina conosco só para pinar. Nem gaja é. Há diferenças enormes, por exemplo: - A esposa faz amor conosco a “ficante” faz sexo, a amante quer atormentarnos a vida santa de casado, a “ficante”  quer sexo, a prostituta exige dinheirinho fresco, a “ficante”  exige sexo, a nossa mãe dá concelhos, a “ficante”  dá sexo, a nossa irmã fala dos filhos (sobrinhos), a “ficante”  fala de sexo, a prima gosta de comer, a “ficante” gosta de ser comida, etc. Para as nossas namoradas/esposas a expressão “ficante” é aquela que as mulheres ficam loucas, adoram usar! Do género “meninos do rugby” em vez de selecção masculina de rugby. Cada jogador desses deve ter uns dois metros de altura e mais dois de largura. De “meninos” não têm absolutamente nada… ok, mas a pior e mais famosa expressão que ficante” é a tal “chiquérrimo”! Não tem mulher que não use “chiquérrimo”. Ultimamente, tudo é “chiquérrimo”! “Ai, o Brad Pit é chiquérrimo!”, “Aquele restaurante é chiquérrimo”, “Minhas férias na praia foram chiquérrimas!”, “Os meninos do rugby são chiquérrimos!” Engraçado, só não usam “chiquérrima” para se referirem à ficante… A ficante”, está para os homens, assim como as criancinhas estão para os pais, são sempre espectaculares. Agora o que não cabe nesta história é o “metrosexual”, que é o que se chama a um o homem que faz uso de cuidados estéticos em maior escala e frequência do que o homem comum. Para mim, metrosexual é o sujeito que está somente a 1 metro de virar homossexual.
Voltando à Valquíria, fico com aquela sensação que pior do que nunca achar a mulher certa, é viver para sempre com a mulher errada.
Se pedires a um homem para descrever uma ficante ele imediatamente vai falar no tamanho das suas mamocas, na medida da cintura, nos lábios carnudos, nas pernas até às orelhas, rabiosque e cor dos olhos, ou vai dizer que tem que ser loira 1,80m, cheia de silicone, sorriso Colgate.
No final, a questão é sempre a mesma. Tens de ter dinheiro. E que é que isto nos ensina? Ensina-nos que a beleza cresce proporcionalmente com o bolso. As “ficantes” são um tipo de gaja que serve para tudo, até para nosso bem. O nosso ego aumenta, e de que maneira, só pelo simples facto de lhe pagar um jantar, oferecer um perfume ou enchê-la de mimos com uma jantarada, que só um visa dourado pode pagar. Só uma gaja destas pode endireitar o que está torto ou morto!
 
P.S: já agora para terminar, queria fazer uma pergunta que me anda a dar cabo dos meus neurónios: - Quando é que a Kinder vai mudar aqueles anúncios que passam na TV? Aposto que nenhuma das pessoas que entra num anúncio da Kinder ainda é viva.


publicado por faustofigueiredo às 18:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

VISÃO DETURPADA DA COISA
 
Uma revista feminina realizou um Seminário destinado a mulheres. Com duração de três dias, o encontro resultou nas seguintes conclusões e sugestões abaixo:
 
1. Cheiro bom de homem é... de homem. Não fuja muito do clássico mistura de aromas:
Desodorizante leve, cheiro de banho tomado e suor natural. Ah! E loção after-shave, que lembra nossos pais. Mais que isso é extravagância.
2. Hálito de bebida alcoólica excita (de uísque, vodka, vinho e champanhe). De cerveja e pinga, não. De alho e cebola, nunca!
3. Podes ter o cabelo como quiseres. Desde que não seja à tigela. Deves manter o cabelo limpo, mas nunca secá-lo com escova. Podes ser careca, as mulheres não ligam. Mas não podes ser careca e usar uma calça vermelha ao mesmo tempo. Se tens uma peruca, use-a no Natal - no presépio, como manjedoura do menino Jesus.
Implantes de cabelo, dispersam a atenção de uma mulher: ao invés de ouvir o que tu dizes, ficam hipnotizadas pelos tufos na sua testa.
4. Não te atrevas a tirar as cutículas das unhas ou a esmaltá-las. Corta-as, apenas. E, em ocasiões especiais, suja-as de graxa.
5. Se tens calos na palma da mão, cultiva-os (temos sugestões edificantes a respeito). São úteis para coçar nossas costas com as mãos espalmadas e um óptimo motivo para que gritem na tua cara: "Vem, meu estivador, mostra quem manda aqui!".
6. Admitem que tu tenhas barriga, mas não que sejas uma enorme barriga.
7. Pêlos no peito, está bom. Em orifícios visíveis, como orelhas e nariz, pedem clemência e tesourinha sem ponta.
8. Banho antes, sim. Logo depois, nunca. Algum tempo depois... pode ser.
9. Escovar os dentes é obrigação. Mas, se usares Colgate depois do sexo oral, vais ter de justificar.
10. Máscaras de creme no rosto, só se tu sofreres de micose ou fores palhaço de circo.
11. Se tens espinhas, trata-as ou então cresce.
12. Homens com músculos definidos parecem másculos. Homens musculosos demais parecem indefinidos.
13. Há coisas que aterrorizam uma mulher: homens que usam bigode, que usam camisa com três botões abertos, que usam calçãozinho bem curtinho para ir à padaria, e os que têm todos os discos do grupo Abba.
14. Não te depiles, a menos que:
- A tua mulher peça;
- Sejas nadador ou jogador de futebol;
- Sejas masoquista.
 15. Aos homens arrumadinhos demais, dão-lhes vontade de pendurá-los em cabides e esquecê-los dentro do armário. Para sempre!
16. Reconhecem um homem pelo sapato que usamos: não te atrevas a usar um mocassim de bico fino, branquinho.
17. Dentes brancos e bem tratados caiem bem, mas não a ponto de mastigares de boca aberta ou mostrar a tua higiene com o artístico palito de dente a céu aberto.
18. Se usas colares até ao umbigo, dourados ou prateados com uma cruzinha na ponta, nunca, mas nunca o coloques em cima da mesinha de cabeceira.
19. Se fores meio destrambelhado, usares meia branca, cuequinhas de gola alta, botinha polida e camisa amarrotada, tenta, ao menos, ser um tipo sensível: vê se sabes poemas de cor ou faz de tipo, cineasta maluco e atormentado.
20. Na cama podes fazer o que quiseres, menos ficar de meias.
21. Nas roupas, prefere sempre o básico, mas vê se tens no armário um uniforme de bombeiro ou pelo menos um chapéu de polícia camarária.
22. Não bebas álcool demais. Nem de menos. Abstémios, Guy Garages e adeptos fervorosos do anti-aborto, são tão assustadores como Serial killers.
23. Pela manhã, escova os dentes antes de fazer sexo. É relaxante para ambos.
24. Se nunca comes carne vermelha, acabarás não por não comer amarela, negra e nem branca também, deixa-te de bichanices.
25. Não cheires a chulé. Desenrasca-te, lava com azeite, vinagre, sabão, como entenderes!
26. E lembra-te: se te olhares muita vez ao espelho, acabarás por encontrar alguém à tua imagem e semelhança, não uma mulher.

P.S. do Fausto:
Recebi isto por e-mail e estou a tentar criar um ambiente pró democrático... Seguramente e em definitivo, as mulheres não fazem a mínima ideia do que querem! Não sei se esse documento aí, mostra o consenso geral da “mulherada” ou é só a opinião de um conjunto de mulheres mal satisfeitas!
É claro que nenhum homem é perfeito e é óbvio que nenhuma mulher também. Aliás, as mulheres tendem observar muito mais em seus próprios defeitos do que os homens. E tirando os "defeitos" desta lista que desqualifica, por completo, um homem de verdade (não beber, não comer carne vermelha, etc.), os homens terão sempre defeitos e é bom as mulheres, irem-se acostumando!


publicado por faustofigueiredo às 15:08
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 20 de Junho de 2007
ESSA MODERNICE DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Às vezes pergunto-me o que será isso da violência doméstica? Será o marido mandar umas cachaporradas pela cabeça abaixo da mulher? Será a mulher enfiar com uma frigideira de óleo a ferver para dentro das calças do marido?
Após muito pensar cheguei à seguinte conclusão: Nada disso, violência doméstica é tudo que o se passa na nossa cabecita, todas as ideias pecaminosas e ociosas que deram à luz nas entranhas do nosso pensamento (bonito), desde que seja, e isto é muito importante, dentro de nossa casa, local de habitação portanto. Por exemplo:
 
 - O padre lá da freguesia nasceu numa família hardcoremente Católica. Pura violência doméstica em relação à freguesia.
 
 - O Papa Nazi, da religião católica, vem cá fazer uma visita a Portugal. Estão a ver? Violência Doméstica em relação ao País.

 - O bebé daquele casal, meu amigo, é mais feio que um pecado capital. Violência doméstica em relação ao casal.

 - Disse à minha priminha de cinco anos que o Pai Natal é um terrorista fundamentalista islâmico nascido e criado no Iraque. Violência doméstica em ralação ao Barbudo.

 - Comer um chocolate na varanda só para ouvir os meus vizinhos a discutir e pensar que o marido podia dar umas porraditas naquela histérica. Violência doméstica em relação aos ouvidos do vizinho.

 - Desejar dar uns pontapés nos testículos do meu antigo chefe, quando ele tivesse a fazer a dança do ventre para a sua amante. Violência doméstica em relação aos testículos.

 - Colocar o soutien de enchimento da minha irmã, na cabeça da minha cadela e brincar com ela, a fazer de conta que ela era um rabino. Violência doméstica em relação às enormes mamocas da minha irmã.
 
 - Criticar um gajo por beber mais de cinco whisky de malte, em menos de 1 hora. Violência doméstica em relação ao tasqueiro.
 
 - Saber a senha de e-mail de um amigo meu, e de vez em quando entrar lá para peneirar os e-mails enviados pelas gajas e apagar todos antes que ele leia e aproveitar e fazer um perfil abichanado no orkut. Violência doméstica em relação ao computador.
 
 - Ouvir o novo Álbum da Ana Malhoa e adorar todas as faixas. Violência doméstica em relação à aparelhagem.
 
Depois disto cheguei à conclusão, que o meu amigo adorava a rasteirinha esposa. Aquelas palmaditas fofas que lhe dava volta e meia, era puro amor. 


publicado por faustofigueiredo às 16:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

TUDO UMA QUESTÃO DE NOMES
Como sabem, gostaria de ser pai lá para o início de 2008. Já estou a ver  a marca do bicho, é macho, o que ainda não sei é como é que lhe vamos chamar, tem de se ver a tendência depois. Este processo da escolha do nome é um processo bastante lento e doloroso. Aquando da minha sobrinha, cento e vinte e três reuniões depois, não conseguimos decidir. Demorámos tanto tempo a estarmos de acordo (eu e o resto da minha família) que acabou por ser a minha própria sobrinha, aos três anos que escolheu o seu nome, aliás um belo nome (Mariana), como que a justificar a capacidade fantástica, que ela hoje possui para resolver as coisas rápido.
Para evitar que aconteça o mesmo com o meu futuro filho, temos tido enormes discussões lá nas famosas e horripilantes, reuniões familiares. Agora com mais um elemento, já que a minha sobrinha, acha que também já tem voto na matéria. A escolha do nome é um processo muito demorado e bastante complexo, ainda para mais neste país, onde não se pode por nomes tão bonitos como por exemplo Maçã, Banana ou mesmo Tomagoshi.
Para mim qualquer nome serve pois o que vale é o apelido. Quando se faz uma reserva para uma mesa, quando se escreve uma carta, quando se recebe um convite, o apelido vai à nossa frente a avisar quem vem por aí.
O apelido diz tudo. Um Bettencourt, um qualquer Burnay, um Sotto Mayor, são nomes nobres, bem diferentes de um Silva ou de um Santos. Hoje em dia, toda a gente anda a dar aos seus filhos nomes nobres. Tiago, Afonso, Beatriz, Inês, Marta, Filipa, etc. O problema é o apelido. O filho de um Silva e de uma Santos não se pode chamar Bernardo, tem que ser Zé. Zé da Silva Santos.
Não se percebe como é que as pessoas não entendem que a combinação de nomes é uma pequena arte, cheia de métrica e com muita poesia? Um nome é um pequeno texto, mesmo que seja escrito em Excel. Por alguma razão os escritores com nomes esquisitos, arranjam pseudónimos. Miguel Torga não é muito bom, mas é melhor que Adolfo Rocha.
Podemos fazer um apanhado e até dividir os apelidos por classes. Assim ficaria:
 
Classe I - Espectáculo
Os apelidos da classe I, não têm significados concretos. Quando se quiser saber a classe de um apelido pergunta-se sempre: É bicho? É planta? É sitio? É objecto? Só é de 1ª classe se não for nenhuma destas coisas.
 
Classe II – +/-
São aqueles que se querem referir a qualquer coisa, mesmo que não ocorra imediatamente a coisa a que se referem. Por exemplo. Ninguém pensa numa macieira ou num pinto quando é apresentado ao Sr. Macieira ou ao Sr. Pinto. Agora quando se conhece o Sr. Queijo é diferente. A imagem de um queijo, esburacado, permanece durante todo o jantar, sob o olhar risonho e desconfiado dos “jantaristas”. De qualquer das formas, qualquer um deles é de 2ª classe.
Classe III – A nossa vergonha
Os da classe III, não têm meio-termo. É tudo ao monte e fé em Deus, como nas barracas. São aqueles demasiado originais (os Gargantas, as Purificações, etc.) e os demasiado frequentes (Silva, Teixeira, etc.).

Passemos ao nosso critério de avaliação final:
Pega-se no nosso nome completo e atribui-se 1, 2 ou 3 pontos consoante seja de classe I, II ou III. Multiplica-se o valor dos 2 últimos apelidos por 3, soma-se tudo e divide-se pelo número de nomes. Assim:
 
2 ou menos pontos ----- Classe I

2.1 a 4.9 ----------------- Classe II

5 ou mais ---------------- Classe III

Vamos fazer a experiência com um nome desconhecido, "Anibal Cavaco Silva"

Aníbal é Classe I = 1 ponto

Cavaco é Classe III, porque se imagina logo, um mestre-de-obras chamado Cavaco = 3 pontos

Silva é vulgaríssimo, logo é Classe III = 3 pontos.

Então temos: 1 + 3 (x3) + 3 (x3) = 19/3 = 6,3 
CONCLUSÃO: vergonhoso.

Como é que não havemos de fazer cento e dezanove projectos para saber onde vamos fazer o nosso espectacular aeroporto, se nem a porcaria do nome para os nossos recém nascidos conseguimos projectar?


publicado por faustofigueiredo às 15:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

BERARDO, ESSE BOM SAMARITANO
Antes de publicar este post, pensei muito, muito mesmo. Na minha rasgada e iluminada desenvoltura para escrever o meu subconsciente dizia “pára de falar mal da vermelhada lá do sul”. Sabem, aquela sensação de fumar… é mais forte que nós. Ainda bem que os pensos só chegaram ao tabaco e não à repugnância encarnada, um vício que me alimenta o ego. Já não me interessa os Filipes Vieiras, os Santos, os Costas, etc., agora o que está a dar é os Berardos, esses salvadores de causas nobres!
O especulador de Bolsa por excelência acha que "alguém anda a fazer mal ao Benfica", pois não entende(?) como é possível a desvalorização destas acções desde que foram cotadas no passado mês de Maio!.
Na sua ingenuidade (questionável, se me permitem!), para ajudar o Clube, lançou uma OPA à SAD do Benfica. Tanto filantropismo é digno de um Nobel!!! É só por acaso que Joe Berardo faz capa da revista Visão, acompanhado de mais uns quantos "filantropos", com o título: "Como eles ganharam € 3.600.000.000 em poucos meses". (Não, não me enganei nos zeros!!!)
Diz já ter recusado a candidatura à presidência do Clube por "falta de jeitinho para a coisa". Que sorte ter elaborado uma maneira de pôr a sua nobre habilidade, ao serviço da vermelhada! Imagino que o fervor benfiquista que empenhou nesta operação ande muito próximo das estratégias nas duas OPAS recentes (à PT e ao BPI), entretido nas suas andanças pelos mercados financeiros!
Quem o ouve falar das razões que o levaram a lançar esta OPA, (quase) não acredita que este empresário ganhou 200 milhões de Euros, em Bolsa, em 18 meses!! (Talvez seja do sotaque madeirense!) E que começou a jogar na Bolsa na África do Sul por influência de um grande amigo: o presidente da Bolsa de Joanesburgo! Que sorte o Benfica contar com a veia de "bom samaritano" de Joe Berardo! Pode ser que depois da tempestade venha a bonança e que o Rui Costa consiga, ainda, ser vendido a bom preço, como se tivesse 25 anos.


publicado por faustofigueiredo às 15:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 15 de Junho de 2007
O GAJO DO ALPINISMO E OUTRAS COISAS DO GÉNERO
 
Não compreendo esses desportos, conheço várias pessoas assim e mais recentemente alguém me perguntou se eu gostava de trilhos. Fazer grandes caminhadas por montanhas e mais grave ainda, subi-las, onde a quantidade de oxigénio é inversamente proporcional à quantidade de gelo, só pode ser contra-natura. É como um homem a sodomizar uma girafa ou o Ribeiro e Castro chegar a presidente de um partido, mesmo o do CDS-PP.
Esta história, de se andar a passear a oito mil e tal metros de altitude (sem se estar dentro de um avião ou helicóptero), é abusar da sorte e da paciência das seguradoras. Deus que é Deus, não gosta de abusadores. Os gajos estão claramente a meter o nariz onde não são chamados. É por isso que alguns até o perdem por lá, talvez por isso o João Garcia queira lá voltar.
Também me faz um bocado de espécime quando começo a pensar nas necessidades fisiológicas dos alpinistas. Por exemplo os homens, quando estão mesmo à rasquinha, como é que fazem? Com aquelas luvas tão grossas, como é que abrem a braguilha? E - mais complicado ainda – com tanto frio, se ficam sem os dedos quando tiram as luvas, o que aconteceria à minhoca sem protecção? Bem, e não falar de quando se torna imperativo baixar as calças e deixar o rabo ao léu. Quanto a essas necessidades, também tenho as minhas inquietações: levam rolos de papel de higiénico na mochila? Se sim, depois da utilização, são ambientalistas ao ponto de levarem consigo o papel higiénico sujo até ao pico? Descem ainda com ele e só aí o descarregam num contentor para a reciclagem? E o cheiro?
Com ao temperaturas que fazem sentir por lá, imagino que o Everest esteja cheio de poios ultracongelados, quais alheira de Mirandela. Se já é difícil trepá-lo, imagino o que será ter que se andar a contornar os milhares de dejectos deixados por inúmeros alpinistas ou andar a escorregar nessa bosta toda. Uma montanha daquelas, torna-se num terreno quase tão minado quanto Angola!
Assim, e depois de umas boas horas a pesar sobre o assunto, estou em crer que o alpinismo moderno, foi inventado por um sujeito com mais de 35 anos, a viver em casa dos pais, sempre agarrado à NET e com pouco habilidade para mulheres.
- Mãe, estive a pensar e resolvi escalar a montanha.
- Ó filho porque é que não vais antes ao teatro ou ao cinema?
- Não mãe, eu quero é escalar montanhas e fazer trilhos.
- Mas filho, aquilo lá em cima é gelado, ainda te arrefecem os pés.
- Não quero saber, escalar montanhas é o meu destino!
 - Ò filho, o teu destino devia ser casares e ter filhos e trabalhares lá no Banco do Rui ou na Câmara do Francisco.
- Não gosto mãe, olha, acho que devia chamar a isto alpinismo.
- Valha-me Deus, queres que te faça umas sandes para levares para o caminho?
- Pode ser, bota carne, só venho à noite.
- Ó filho, leva o casaco e o cachecol! Tens que te agasalhar bem senão ainda apanhas um resfriado.
 
Enfim, acho que lhe podia ter dado para muito pior. Podia ter sido este gajo a começar com o rock n´roll.


publicado por faustofigueiredo às 17:49
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

AS SETE MARAVILHAS
Há momentos que cruzamos informações na net e deparamos com situações delirantes. Esta é uma delas, estava a fazer um trabalho para o meu jornal e no fantástico GOOGLE emerge este site. Não pude deixar de publicar este post, pois trata-se de um blog… um pouco abichanado, acho. Dizia assim,
 
“Como já é sabido, a REVISTAGAY juntou-se à iniciativa de eleger as novas 7 Maravilhas do Mundo e por isso ao longo dos dias 7, 17 e 27 de cada mês (até final de Junho), vamos dar-lhe a conhecer os 21 locais que estão a votos para serem seleccionadas as 7 Novas Maravilhas.
 
 No dia 7 de Julho de 2007, em directo do Estádio da Luz - Lisboa, irão ser anunciadas ao mundo as novas 7 Maravilhas, e já que Portugal não tem nenhum dos seus belos monumentos candidatos às 7 Maravilhas, Portugal teve a iniciativa de eleger as suas 7 Maravilhas Nacionais. Desta forma, existem 21 candidatos ao título das 7 Maravilhas de Portugal e é você (a semelhança do que acontece com a eleição das Maravilhas do Mundo) que vai eleger essas 7 Maravilhas. E como pode fazê-lo?! É simples, baste irem ao site http://www.7maravilhas.sapo.pt e aí votarem naquele que mais gostem.
 
 A partir de hoje, o REVISTAGAY vai dar-lhe a conhecer, não só os candidatos às Maravilhas do Mundo, como também vai dar-lhe a conhecer por fotografias, os candidatos as 7 Maravilhas de Portugal.
 
 Basta votar e no dia 7 de Julho de 2007, todos iremos saber quais são os vencedores!
 
 
http://revistagay.blogs.sapo.pt/12732.html
 
 
 
P.S. Não sei o que diga, quando li “Revistagay - as 7 Maravilhas do Mundo”, pensei logo no Brad Pit, John Travolta, Federer, etc, etc. Mas não… não. Não sei mesmo o que diga.


publicado por faustofigueiredo às 17:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Berardo lança OPA a acções do Benfica

A Metalgeste, uma 'holding' do empresário madeirense Joe Berardo, lançou uma oferta pública parcial de aquisição sobre 60 por cento do capital da Benfica SAD, oferecendo 31,5 milhões de euros pelos 9 milhões de acções de categoria B.
 
 - Agora sim, os benfiquistas já podem pagar às finanças com acções verdadeiras. Faça-se então o resgate do “nosso” dinheirinho e paguem com retroactivos.

A oferta visa a aquisição da totalidade das acções da categoria B (9.000.001), não sendo objecto da mesma as seis milhões de acções da categoria A, detidas pela Benfica SAD.
 
 - Agora sim, o clube da Mouraria vai se chamar Sport Lisboa e Berardo (Sport e Lisboa pela parte A e Berardo pela parte B)

O empresário Joe Berardo já detém 5.291 acções da categoria B da Benfica SAD.
 
 - Agora sim a gaja pode cantar: "Afinal já havia outro…" então e as finanças?
 
Actualmente, o Sport Lisboa e Benfica detém 40% das acções (categoria A).
Manuel Vilarinho possui 12,27 por cento das acções da categoria B, seguida pelo SL Benfica com 10,20 por cento, Luís Filipe Vieira com 5,67 por cento, estando os restantes 31,86 por cento dispersos em bolsa.
 
 - Agora sim, o Sport Lisboa e Benfica detém 40% e o SL Benfica 10.20%. Eu não queria opinar mas acho que estamos a ser enganados.

As acções da Sport Lisboa e Benfica, SAD começaram a ser negociadas em bolsa a 22 de Maio.
 
 - Agora sim, o amigo Veiga já pode pagar ao fisco e ao Banco Luxemburguês com o dinheiro das acções, ou do Berardo, seja lá ele de quem for.
 


publicado por faustofigueiredo às 16:34
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 5 de Junho de 2007
SANGUE DO MEU SANGUE...

Isso do Dakar, Camel Trophy e outras mariquiices do género de montanhismo, etc., é coisa de meninos. Aventura em estado puro e cheio de adrenalina é arriscar uma incursão na casa da minha mãe, em dias de junção familiar. Isso sim, é para homens de barba rija, com eles no sitio.

Pois é, tive a imbecil ideia de combinar um fim-de-semana em família com os meus primos e irmãos nessa bendita superfície familiar. O ponto de encontro foi nessa lugar a candidato a maravilha do mundo situado em Coimbra, na margem sul, conhecido pelo Fórum.
O grupo excursionista já estava atrasado, pelo que resolvi ir tomar um café e ver uns pontapés na bola que o Quaresma e companhia davam, antes de comer. Até nem havia muita gente (pasme-se!!) pelo que foi trigo limpo. Peço o café e aprochega-se de mim um jovem aí para os sub-20, a quem a acne atacou sem dó nem piedade. O (surreal) diálogo segue dentro de momentos. Espera...o surreal monólogo segue dentro de momentos:
(caixa maltratado pela acne) - "Vai desejar mais alguma coisa?"
(eu ) - "Não, obrigado."
(caixa maltratado pela acne) - "Isto hoje está cheio de gajas boas!! Esteve aí uma escola, era só modelos! Tão boas!! E um gajo que não pode sair daqui!!
(eu ) - "Pois...ok…então...boa sorte...quanto é?"
E foi assim, sem tirar nem pôr, sem dó em piedade. Não vale a pena inventar histórias e teorias para alimentar um blogue: basta sair à rua.
Mas o dia ainda estava longe de acabar. Ainda a digerir o insólito episódio, dirijo-me para o local combinado para o enternecedor encontro familiar. Sei de antemão que o meu primo, vem acompanhado da sua nova aquisição.
De repente olho para o lado e dou de trombas com um cenário fantástico,
vejo-os aproximar lentamente, como nos filmes americanos. À frente dos dois vinham três jovens que davam ares de uma rebaldaria educacional, tal a forma como saltavam e esperneavam, um ou dois metros mais adiante. Dava ares, não: dava aí um ciclone tropical anónimo, três "El Niño" e meia dúzia de "Katrinas", pelo menos. Nem liguei.
Estabeleço então contacto visual com a moçoila, que prontamente estuga o passo na minha direcção. Segue-se o rosário de ternuras e mimos entre familiares de longa data:
-Olha, o cabrão do primalhaço, tas mais magro, quem te manda ser benfiquista, eles consomem-te !!
- Eis se não é o maricão do Gil, careca dos diabos, cada vez pior, não pares de engordar não…
E por aí fora. Paremos por aqui antes que as lágrimas me comecem a chegar aos olhos.
Chega então o momento da verdade. Eu procuro pela suposta nova aquisição do primo, à minha frente paira a paisagem de uma jovem, sei lá… estilo Lx. Não, não podia ser...Qualquer coisa me estava a escapar, com certeza. O animal emagrece mas continua com bom gosto.
"-Ah..." , diz o primo,"...esta é a "XYZ"...
O maricão do meu primo andava então a "sair" com uma gaja que conhecera no local de trabalho, onde logo me veio à cabeça a história do chefe e da secretária, a minha imaginação começou a fervilhar e a minha boca começou a debitar sons parecidos com palavras em favor de uma novela, que eu já a estava a ver nas televisões, onde o sucesso seria tanto que as entrevistas não paravam… Fui acordado pela minha irmã, que teimava em fazer deste encontro imediato um acto de educação extrema e cuidado “falatativo”.

Fomos jantar todos, as tais criancinhas oriundas de Marte, foram comer aquele famoso fast food em que os restos de carne são prensados e envoltos em pão. Nós dirigimo-nos então para um restaurante, português chamado Serra da Estrela, para que a nossa cara conviva se sentisse em casa (valha-me deus).

Eu que até sou um indivíduo particularmente sensível e compreensivo com a típica "conversa de gaja", fiquei particularmente deleitado com a palestra da jovem sobre... sobre… ok sobre. Feitas as contas era lisboeta, e há muita coisa para dizer sobre os lisboetas. Muita, e extremamente interessante.
Quando os "pombinhos" se ausentaram para lavar as mãos (espero que tenha sido mesmo para isso) inquiri a restante mesa redonda sobre a natureza curiosa daquela bonita relação.
"-Não sei de onde a conheceu, mas tem ar de professora, deve ser professora das filhas. Não, dizia outra, cheira-me a engenheira” – eis que então a conversa teve de terminar porque as mãos são lavadas mais depressa que nos imaginamos. A saga continuou.

"Fofinha" para aqui, "Amor" para ali. E um "foscas" ocasional, para temperar. Que não faz senão mal para apimentar uma amena cavaqueira.
Durante o jantar a jovem atende para cima de meia dúzia de pedidos de esclarecimento. Curiosamente, todas de homens. Cegamos então à conclusão que se coneceram pois trabalham lado a lado. Se há alguma casa de banho no meio vai ser complicado apanhar algum deles no gabinete. No fim o meu primo pagou o jantar à rapariga, claro está.
A carninha estava uma maravilha, e por isso o rapazinho lá do sitio, vestido a rigor com aquele avental muito em voga hoje em dia, somou os pratos, a bebidas, as sobremesas e o número de contribuinte, a avaliar pelo resultado dessa conta.

Depois de meia hora de conversa, cheguei à conclusão que a miúda era sensível a certas coisa normais da vida. Ela ria-se como as pessoas, falava como elas também, achou piada aos futebolistas da madeira e tinha uma particularidade engraçada, ria-se quando eu dizia que mandava uns peidos sonoros inimitáveis e fantásticos. Afinal a gaja era normal.
A partir daí uma outra preocupação se assolou na minha mente, o tamanho da coisa interessará?! Dizia-me uma querida amiga, que o marido foi extremamente prejudicado quando deus olhou para a pilinha dele e fechou os olhos que "Não interessa o tamanho da varinha, mas sim a sua magia".
Ora bolas! Quer dizer que de nada me vale carregar na virilha esta desmesuradamente avantajada dádiva celeste, mesmo considerando o padrão africano.
Sim, mas eu se arranjar outra mulher, não vai ser como a do meu primo. Para já o cabelo não será pintado, tem de ser mais baixa que eu e por amor de deus, não chamar esparguete à filha.
 


publicado por faustofigueiredo às 16:08
link do post | comentar | favorito

UM FILME DE SUCESSO
 
Graças à recente mania de ir fazer intercâmbios com o Brasil, tornei-me um frequentador assíduo de tudo o que é repartição pública. Horas e horas de filas, senhas e convívio com mulheres de 50 anos, mal encaradas e mamas descaídas, genericamente falando.

Hoje, no entanto, nem me importei nada de fazer a minha peregrinação bidiária às Finanças. E porquê, perguntam vocês? À entrada para esse purgatório dos contribuintes, calhou casualmente a escutar uma breve conversa entre dois gajos na casa dos cinquenta, mais coisa, menos coisa. Mas o que importa é reter a seguinte frase, citando fielmente um dos interlocutores:
" - (...) epá, o filme é mêmo bom, o Oncongue! Aquele do macaco grande pendurado no prédo lá namérica!"
"Oncongue"...? Será que ele queria dizer "Hong-Kong", será que queria dizer “King-Kong? De qualquer forma, desconfio que não apanhou bem a essência da coisa. A culpa é desses intelectuais que teimam em fazer histórias cheias de complicação.


publicado por faustofigueiredo às 15:14
link do post | comentar | favorito

o que voçês queriam saber sobre mim
procure aqui
 
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

MEU NOVO BRINQUEDO DO BRA...

XAU

O NOVO BRINQUEDO DO FAUST...

FAUSTO DEIXOU DE SER MILI...

Composição do João

NÃO SOU CANDIDATO A LIDER...

O festival da canção e aq...

O futuro foi feito no ant...

Algo sobre as passitas de...

Fumex

Gilberto Vicente - um esg...

CESARIANA = GAY - Teorias

Resposta estupidas para p...

Informático-dependente

Uma gaivota de Abril, uma...

Velharias

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds