"Todos os devaneios que me vão na cabeça, que me foram da cabeça e que me hão-de vir até à cabeça. Todas as mentiras e verdades que me foram impostas, todas as torturas que eu vi. Todos os momentos; um principio de vida, o meu desnascer."
Sexta-feira, 23 de Maio de 2008
O festival da canção e aquele grupo de gente esquisita

A noticia é...

“Fez-se história em Belgrado... a nossa sorte é sempre a mesma, sofrimento até ao fim... mas no último envelope lá estava... o nome de Portugal. Muito que se gritou no pavilhão e o envelope revelava mesmo o que todos esperávamos: Portugal está na final.”
Importantíssimo. A musica portuguesa este ano é a pior de sempre - daí termos conseguido passar à final. Nem aquele mocinho negro que cantava uma musica esquisita conseguiu passar à final. Meia dúzia de seres, uns gordos e outros feios, tiveram esses privilégio, a passagem À final do euro festival da canção.
Ponho-me a pensar como é que uma gorda feia e uns gajos vestidos com o lençol de noite, podem ter efeitos surpreendentes.
Eles são roupas tipicamente portuguesas, descalços para dar uma imagem do país que temos. Só há dinheiro para gasolinas e afins.
Plagiando meu irmão “...depois do adeus, o caminho faz-se caminhando, a guerra do ultramar na versão diamante do Mário Soares, diz-me como foi... etc
Descalços! coitadinhos.....
Eu acho que os os D'ZRT são completamente diferentes dos TOKIO HOTEL, até porque os d'zrt sao uma bosta autentica na musica portuguesa... agora os gordos não...
« Senhora do mar... negras águas...» bonito e mórbido ao mesmo tempo.
Se fizermos uma leitura completa, ao poema desta bela canção podemos chegar às seguintes conclusões:
 
Senhora do mar
Ante vós, me tendes caída
Quem vem tirar meia da vida e da paz
Desta mesa, desta casa, perdidas?
Amor, qu'é de ti?
 - Reparem só, que ela caí ante deles e só vive até aos 40 anos+/-, que é meia vida. Presume-se que a casa é grande porque eles perdem-se entre a mesa e o WC, que eles muito bem omitiram na canção.
 
Senhora do mar
Ante vós, minha alma está vazia
Quem vem chamar a si o que é meu?
Ó mar alto, traz pr'a mim
Amor meu sem fim
- Tipicamente citadino este poema. A alma está vazia porque não há tempo de ir à missa e o mar traz de volta o cagalhão que era dele e que foi parar ao mar alto, através do esgoto
 
Ai, negras águas, ondas de mágoas
Gelaram-m'o fogo no olhar (Senhora do mar)
Ele não torna a navegar (Ele não torna a navegar)
E ninguém vos vê chorar
Senhora do mar
- obviamente ninguém a vê chorar porque ninguém navega naquela água negra de tanta sujidade
 
Quem vem tirar meia da vida e da paz
Desta mesa, desta casa, perdidas?
Amor, qu'é de ti?
- Outra vez a história da meia vida e da mesa... Observem bem a beleza destes pormenores.
 
Ai, negras águas, ondas de mágoas
Gelaram-m'o fogo no olhar (Senhora do mar)
Feridas em sal, rezas em vão (Rezas em vão)
Deixai seu coração (Deixai seu coração)
Bater junto a mim (Bater junto a mim)
- Finalmente uma localização. É nas salinas de Aveiro que a água está negra. Violenta a forma encontrada pelo autor, para dizer que eles estavam com a cabeça encostada às mamas da senhora do mar. Até dava para ouvir o coração.
 
Ai, negras águas, ondas de mágoas
Gelaram-m'o fogo no olhar (Senhora do mar)
Ele não torna a navegar (Ele não torna a navegar)
E ninguém vos vê chorar (E ninguém vos vê chorar)
Senhora do mar (Senhora do mar)
- Serve a água suja para acabar este belo poema. Em todas as frases há uma repetição excepto na primeira estrofe que só a fizeram para rimar.
 
Para o ano, teremos o Santana Lopes a cantar com o Mário Soares no festival da canção. Um belo dueto, sem duvida alguma. A canção chamar-se-á “"Povo Português (como vendemos este país)”"
A final, em Portugal, vai contar também com a participação de Manuela Ferreira Leite, com a canção "foste e não voltastes e eu agora fiquei eu" (desconfio que Durão Barroso vai fazer parte do júri).
José Sócrates terá um vídeo de apresentação fantástico, na sua interpretação de "no fuel, no smoke" (versão em Inglês), uma arriscada fumadela junto a umas bombas da Galp, onde corajosamente Sócrates fuma o ultimo cigarro num balde de areia e diz que vai deixar de fumar.... é lindo. O vídeo termina com a imagem dele a fazer a meia-maratona da ponte Vasco da Gama. A produção musical está a cabo dos buraca-som-system, com letra de Jorge Palma.


publicado por faustofigueiredo às 16:09
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De Anónimo a 28 de Maio de 2008 às 12:38
Acha portanto que a qualidade da música depende da beleza exterior dos seus interpretes?!!!

As suas relações de causa-efeito deixam muito a desejar!!!


De faustofigueiredo a 28 de Maio de 2008 às 14:00
Sabe amigo anónimo, não precisamos de dinheiro para sermos felizes, mas uma conta bancária bem recheada, ajuda bastante. Se a moça tivesse as pernas de fora e andasse às cavalitas dos colegas (coisa impossivel devido aos 350 kg de peso), não tinha ficado no 13º lugar mas sim nos 10 primeiros. Quanto à minha relação com o efeito, tem razão quando diz que deixa muito a desejar... mas defendi bem a minha causa ou não? bem haja amigo anonimo, amigalhaço... tb não sou lá muito giro, nem magro...


Comentar post

o que voçês queriam saber sobre mim
procure aqui
 
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

MEU NOVO BRINQUEDO DO BRA...

XAU

O NOVO BRINQUEDO DO FAUST...

FAUSTO DEIXOU DE SER MILI...

Composição do João

NÃO SOU CANDIDATO A LIDER...

O festival da canção e aq...

O futuro foi feito no ant...

Algo sobre as passitas de...

Fumex

Gilberto Vicente - um esg...

CESARIANA = GAY - Teorias

Resposta estupidas para p...

Informático-dependente

Uma gaivota de Abril, uma...

Velharias

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds